Evento-teste de ciclismo reúne atletas de 15 países no Rio

Mais um evento-teste para os Jogos Olímpicos de 2016 foi realizado com êxito no Rio de Janeiro. O palco, desta vez, não ficou restrito a apenas uma instalação esportiva: o Desafio Internacional de Ciclismo de Estrada passou por 165 quilômetros em vários bairros. Atletas de 15 países pedalaram pelas ruas da cidade, sob sol, temperatura de 30 graus e subidas extenuantes.

O percurso e a organização foram elogiadas pelos competidores internacionais. Foram 165 quilômetros de longas retas, subidas íngremes, trechos em meio à Mata Atlântica, trepidação de pavimento de paralelepípedos e descidas técnicas, em uma viagem pelos bairros de Copacabana, Ipanema, Leblon, São Conrado, Barra, Recreio, Guaratiba, Alto da Boa Vista, Floresta da Tijuca (Vista Chinesa), Horto, Jardim Botânico e Gávea. Eles deram duas voltas do circuito Prainha-Grumari e duas do circuito Floresta da Tijuca antes da chegada a São Conrado, totalizando cerca de 2.200m de ganho de altitude.

Em 2016, o trajeto será praticamente igual, com o acréscimo de mais voltas nos circuitos de subidas, que totalizarão 250km. No evento-teste deste domingo, a largada foi em Copacabana e a chegada em São Conrado. Em 2016, o Posto 5 de Copacabana será o palco do início e do final da prova olímpica.

Organização
Mesmo com interdições em 150 quilômetros de vias urbanas, não houve registros de congestionamento, pois os trechos foram reabertos à medida que os ciclistas passavam pelo local. “Nosso objetivo era garantir a realização da prova de maneira organizada e segura para os participantes e isso foi alcançado. O evento testou a cidade e a integração de agentes públicos e comitê organizador. A satisfação dos atletas é a maior prova que trabalhamos bem. O público também colaborou e o saldo do evento foi positivo”, afirmou o secretário municipal de Transportes, Leonardo Picciani.

A nova configuração da sala de controle do Centro de Operações Rio (COR) foi testada durante o evento. O modelo, que será utilizado durante os Jogos Rio 2016, distribui os operadores em bancadas divididas pelas quatro regiões olímpicas (Copacabana, Deodoro, Barra da Tijuca e Maracanã).

Também foi essencial a integração com o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), do governo estadual, a Coordenação Geral de Defesa da Área (CGDA), do governo federal, e o Main Operations Center (MOC), do Comitê Rio 2016.

Confira também

Análise: Inter supera susto, fica a um ponto da liderança e dá peso de final para jogo com São Paulo

A sexta vitória seguida do Inter no Brasileirão – novo recorde do técnico Abel Braga …