Dirigentes e jogadores agradecem presidenta Dilma pela conversão da MP do Futebol em lei

Representantes de clubes de futebol, do movimento Bom Senso F.C e de parlamentares, estiveram na tarde desta terça-feira (11) no Palácio do Planalto, em Brasília, para agradecer e parabenizar a presidenta Dilma Rousseff pela sanção da MP 671, que trata, entre os pontos, da modernização do futebol brasileiro e do refinanciamento das dívidas dos clubes.

A presidenta reconheceu o esforço de todos os envolvidos na elaboração e aprovação do mecanismo legal, além de ressaltar que a legislação é um ponto de partida para o desenvolvimento do esporte mais popular do país. “Agora, o jogo é com os senhores. Nós esperamos que esta legislação contribua de fato para que a partida seja jogada com toda a competência que caracteriza o futebol brasileiro e que seja um ponto de partida para o processo de modernização que todos nós queremos”, disse.

Com a lei, as agremiações interessadas em parcelar os débitos com a União devem aderir ao Programa de Modernização do Futebol Brasileiro (Profut). A permanência no Profut está condicionada ao cumprimento de contrapartidas, com foco em gestão e responsabilidade fiscal.
Durante o encontro, o ministro do Esporte, George Hilton, lembrou o fato de que a conversão da MP 671 em lei representa mais um momento histórico para o futebol brasileiro. “Gostaria de agradecer à presidenta Dilma, que, desde o primeiro momento que assumi o Ministério do Esporte, me deu à incumbência de trabalhar na elaboração do projeto. Me sinto orgulhoso em fazer parte do seu governo e, mais do que isso, que os avanços que o futebol terá nos próximos anos serão um reflexo da atitude importante que o governo tomou para a defesa do futebol e do esporte no país”, afirmou.

A presidenta revelou ainda que, antes de enviar o texto para a aprovação no Congresso Nacional, ela fez um pedido especial. “Nós não queremos mais exportar jogadores, mas queremos exportar o espetáculo. É exportar agregação de valor, pois sabemos o quanto o futebol brasileiro é capaz e competente para proporcionar o espetáculo”, apontou.

Em nome dos mais de 20 mil jogadores profissionais do Brasil, o atleta Thiago Gasparino representou o movimento Bom Senso F.C. “Gostaríamos de agradecer mais uma vez pelo esforço em defesa da reforma do futebol brasileiro. A lei estabelece pilares fundamentais para um novo tempo no futebol brasileiro”, falou, ao acrescentar que a economia do futebol só tem a ganhar com a lei.

O instrumento legal que apresenta um conjunto de medidas que visa à responsabilidade, modernização e governança dos clubes, foi exaltado pelo presidente do Clube de Regatas do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello.

Para o dirigente, voltar no Palácio do Planalto depois de dois anos e meio de debates para elaboração e aprovação da lei representa a porta de entrada de grandes mudanças que queremos empreender no futebol brasileiros. “Volto aqui não somente para agradecer ou comemorar o fim de longos anos de trabalho. A lei é um fantástico ponto de partida para várias medidas para modernizar e moralizar o futebol brasileiro. Sem o ponto de partida, não iríamos a lugar nenhum”, analisou.

“Posso dizer com orgulho que o Flamengo hoje cumpre com todas as contrapartidas previstas na Lei. Com conta disso, o que tem de novidade para nós é a parte boa, o refinanciamento da dívida. Isso coroa um esforço que estamos fazendo de sacrificar os objetivos esportivos em nome da recuperação da dignidade do clube. Agora, chegou o ponto que poderemos competir em igualdade de condições, pois todos terão que seguir a mesma diretriz e andar na linha”, completou o Bandeira de Mello.

Confira também

Análise: Inter supera susto, fica a um ponto da liderança e dá peso de final para jogo com São Paulo

A sexta vitória seguida do Inter no Brasileirão – novo recorde do técnico Abel Braga …