Deputados destacam importância cultural do Festival América do Sul

Foi lançado o 12º Festival América do Sul Pantanal 2015, que acontece de 20 a 22 de agosto, em Corumbá. Neste ano, a programação terá formato que resgata as palestras e debates, mantendo os shows, exposições de artes plásticas, fotografia, artesanato, cinema, teatro e danças. Nesta edição, o festival irá homenagear o poeta chileno de 101 anos Nicanor Parra e o músico de blues Renato Fernandes, que faleceu este ano.

No auditório da governadoria, a deputada Mara Caseiro (PTdoB), 3ª vice-presidente da Casa de Leis, destacou a importância da manutenção do festival. “É consequência do compromisso do governador em concluir o que foi deixado pelos governos anteriores. Isso é muito importante para Mato Grosso do Sul. Que este festival promova a cultura e potencialidades, do mesmo modo que o festival de Bonito fez”, concluiu Mara. Para o presidente do Legislativo, Junior Mochi (PMDB), o festival é emblemático, pois dá visibilidade e promove a interação entre os povos sul-americanos. “Faz com que nós nos reconheçamos dentro da cultura e expressão sul-americana. Este festival tem que ser muito valorizado, mantido, pois é uma ação cultural de nossa querida cidade de Corumbá”, frisou Mochi.

Reinaldo Azambuja (PSDB), governador do Estado, disse que para manter as ações é preciso criatividade, se referindo ao atual cenário econômico nacional, que forçou uma redução na dimensão do festival em relação às edições anteriores. “Nessa nova roupagem, temos o apoio de 470 artistas que estarão se apresentando, sendo 399 do Estado. Tenho certeza que o festival será promissor”, destacou Azambuja. Já o secretário de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Sectei); Athayde Nery, lembrou que o festival promove a união de “irmãos latinos” e também serve de laboratório para discussão de temas como conservação do ecossistema pantaneiro, ciência, tecnologia e empreendedorismo. O prefeito de Corumbá, Paulo Duarte (PT), agradeceu os apoios. “Esperamos sempre o comprometimento do governo com um festival tão importante para a arte, cultura, preservação de patrimônio e que prioriza artistas locais”, expressou.

Nesta edição, o nome do festival ganhou a palavra Pantanal. Entre as atrações, estão os grupos Falamansa (SP), Acaba (MS) e Generación (Paraguai); os cantores Almir Sater (MS), Geraldo Espíndola e Juci Ibanez (MS), o instrumentista Marcelo Loureiro (MS), o harpista Leonard Jacome (Venezuela). Também haverá uma exposição intitulada “A Divisão do Estado”, de Humberto Espíndola, que completa 50 anos de carreira. O cinema trará títulos famosos como “O Sal da Terra”, sobre o fotógrafo Sebastião Salgado e “Violeta Se Fue A Los Cielos”, sobre a cantora Violeta Parra. Os shows e atividades variadas acontecerão em vários espaços como o Moinho Cultural, Sesc, Praça Generoso Ponce, prédio da antiga Alfândega (UFMS), Arena do Porto Geral e Clube Corumbaense. Haverá programação também em Ladário e nas cidades bolivianas de Puerto Quijarro e Puerto Suarez.

Confira também

Com chapa única, Assomasul elege nova diretoria na próxima semana

Chapa única encabeçada pelo prefeito de Nioaque disputará a presidência da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso …