Com apoio de tucanos, Câmara aprova PEC da redução da maioridade penal

Com amplo apoio da bancada do PSDB, o plenário da Câmara aprovou nesta quarta-feira (19) a Proposta de Emenda à Constituição 171/93, que diminui a maioridade penal de 18 para 16 anos. A matéria recebeu 320 votos favoráveis, contra 152. De acordo com o texto, a maioridade será reduzida nos casos de crimes hediondos – como estupro e latrocínio – e também para homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte. O texto será enviado ao Senado.

A aprovação significa uma vitória da sociedade, ressaltou o deputado João Campos (GO). “Essa matéria interessa ao povo brasileiro, que está cansado de impunidade”, afirmou. A votação representa o início do combate à impunidade, na avaliação de Domingos Sávio (MG). “Será extremamente positivo porque vai tirar do meio dos jovens em recuperação criminosos graves”, completou.

De acordo com a PEC, os jovens de 16 e 17 anos deverão cumprir a pena em estabelecimento separado dos adolescentes que cumprem medidas socioeducativas e dos maiores de 18 anos. O 1º vice-líder da Oposição na Câmara, Arthur Virgílio Bisneto (AM), enfatizou o rico debate sobre o assunto, mas criticou que o governo tenha tentado vincular a redução às políticas de educação. “Isso é inconcebível no nosso país. Nada impede que o governo passe a olhar de uma vez por todas para a educação”, disse.

Para o 1º vice-líder do PSDB na Câmara, Nilson Leitão (MT), em 13 anos o PT não apresentou programas para combater o tráfico e recuperar jovens atraídos por traficantes. “Nossas fronteiras estão liberadas para a entrada de drogas por navio, avião, bicicleta, como quiser. A política do PT é sórdida”, lamentou. A base aliada à presidente Dilma é contra a redução da maioridade, mas não apresenta alternativas para socorrer a juventude, completou o parlamentar.

O tucano citou crime ocorrido em Sinop (MT) em que cinco jovens em um carro assaltaram um casal. Quando viram uma farda da Polícia Militar o guarda-roupa da casa, mataram os dois. “Esse menor de idade já tinha assassinado 30 dias antes e tornou a matar para roubar sem nenhum tipo de arrependimento”, reprovou Leitão. Segundo ele, o país precisa evoluir e salvar sua juventude.

A noite entrará para a história do Parlamento com uma decisão a favor do Brasil, lembrou o deputado Rodrigo de Castro (MG). “Esta Casa disse a todos que queremos um país mais seguro”, afirmou. O tucano lamentou o voto contrário do PT, que se coloca contra a sociedade. Castro acrescenta que é preciso garantir aos jovens escola, saúde e ambiente de crescimento, mas também combater a impunidade.

Reduzir a maioridade penal não é a solução final para a violência, afirmou Caio Narcio (MG), mas é um passo para afastar os jovens da criminalidade. “O governo precisa investir em educação, esporte e oportunidades para os jovens. Hoje esse Parlamento nos orgulha, dando sinal de fim da impunidade”, finalizou.

Confira também

Com chapa única, Assomasul elege nova diretoria na próxima semana

Chapa única encabeçada pelo prefeito de Nioaque disputará a presidência da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso …