Canoagem brasileira faz história e conquista ouro em prova olímpica no Mundial 2015

A dupla formada por Isaquias Queiroz e Erlon Souza conquistou neste fim de semana o título Mundial de canoagem velocidade na prova C2 1000m. No Campeonato Mundial de Canoagem Velocidade e Paracanoagem 2015, em Milão, na Itália, os canoístas – que fazem parte do programa Bolsa Pódio do Ministério do Esporte – garantiram o primeiro ouro na história da canoagem brasileira em prova que compõe o programa olímpico.

Até então, os títulos mundiais conquistados pelo baiano Isaquias foram na C1 500m, prova não olímpica. “Alguns anos atrás achávamos que era impossível essa conquista, mas graças a Deus deu tudo certo”, lembrou Erlon. Isaquias também comemorou muito o resultado. “Estou muito feliz. Depois de uma boa eliminatória e uma semifinal, sabíamos que o ouro poderia vir com certeza”, comemorou.

Com uma largada forte, os brasileiros mantiveram o ritmo até o final da prova. O ouro veio com o tempo de 3min38s508. A prata ficou com os húngaros Henrik Vasbanyai e Robert Mike, com 3min38s836, e o bronze com os poloneses Piotr Kuleta e Marcin Grzybowski, com 3min39s305.

Isaquias Queiroz também subiu ao pódio em prova individual. Na C1 200m, o brasileiro cruzou a linha de chegada em terceiro lugar, com o tempo de 38s915. A prova foi vencida pelo bielo-russo Artsem Kozyr, com 38s605, e o segundo lugar ficou com o chinês Qiang Li, com 38s815.

Brasil no Mundial
No quadro geral de medalhas, após o término de 38 provas disputadas no Mundial 2015, o Brasil encerrou a participação na quarta posição geral. Foram nove medalhas, sendo quatro de ouro e quatro de bronze nas provas olímpicas e paralímpicas. O primeiro lugar ficou com a Alemanha, seguida por Bielo-Rússia e Austrália.

No balanço da competição, o Brasil garantiu também duas vagas para disputar os Jogos Olímpicos do Rio 2016 –C1 200m e C2 1000m, ambas no masculino. Por ser país-sede, o Brasil já tinha garantidas as vagas no C1 1000m masculino, K1 1000m masculino e K1 500m masculino.

Os brasileiros terão outra oportunidade para ampliar o número de vagas olímpicas. O próximo desafio será durante o Campeonato Pan-Americano de Canoagem Velocidade 2016, que acontece em maio, nos Estados Unidos.

Paracanoagem
A Paracanoagem Brasileira se despediu do Mundial com ótimos resultados. Além de duas vagas garantidas (KL1 e KL2 Masculinos) para os Jogos Paralímpicos Rio 2016 e a vaga no feminino assegurada por ser país-sede dos Jogos, o Brasil voltou de Milão com sete medalhas na bagagem, sendo três ouros e quatro bronzes.

“Saímos muito satisfeitos com os resultados obtidos aqui na Itália, mas ressalto que ainda temos chances de nos classificar em mais uma vaga no masculino (KL3) e nas três do feminino (KL1, KL2 e KL3) no Mundial de 2016, que será disputado, em maio, na Alemanha, além das demais vagas olímpicas no Campeonato Pan-Americano de Canoagem Velocidade nos Estados Unidos”, ressaltou João Tomasini Schwertner, presidente da Confederação Brasileira de Canoagem.

A equipe brasileira que disputou o Campeonato Mundial de Canoagem Velocidade e Paracanoagem 2015, em Milão, na Itália, tem apoio do BNDES – patrocinador oficial da Canoagem Brasileira, GE (General Electric), Comitê Olímpico do Brasil, Comitê Paralímpico Brasileiro, Ministério do Esporte por meio da Lei de Incentivo ao Esporte e Seguros Unimed.

Confira também

Com dores, Mike Tyson prevê exibições a cada 2 meses

Mike Tyson foi para a entrevista coletiva, após a exibição diante de Roy Jones Jr., …