Obras no macroanel avançam e estão a menos de 2 km da BR-163

Projeto lançado há mais de 10 anos, orçado em R$ 29 milhões, a última etapa do macroanel rodoviário de Campo Grande (ligação entre as saídas de Rochedo e Cuiabá) avança e está a menos de dois quilômetros (exatos 1.700 metros) de chegar à BR-163. Falta concluir a negociação com os proprietários de duas chácaras, localizadas no traçado projetado, para a empreiteira abrir a pista e iniciar de imediato a terraplanagem, etapa que precede a pavimentação.

O prefeito Gilmar Olarte espera inaugurar em maio de 2016 este último braço do macroanel, que está 56% concluído. Em junho do ano passado, Olarte viabilizou junto ao Ministério dos Transportes a retomada da obra que ficou parada por mais de dois anos. A empreiteira teve que refazer um trecho do pavimento (próximo da Estância Hawai), de acordo com as especificações técnicas exigidas pelo DNITT(Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte).

Desde o ano passado, a parcela complementar dos recursos, R$ 13,6 milhões, foi disponibilizada pelo DNITT, que foi complementada com uma contrapartida de R$ 2 milhões da Prefeitura. Até o momento, já foram investidos na obra R$ 13.794.370,84.

Já estão prontas todas as obras de artes planejadas (duas pontes sobre os córregos Botas e Ceroula, além de várias galerias para travessia de água da chuva e riachos ) . Dos 22 km, 10 já receberam asfalto, sendo 9 km no trecho que liga as rodovias MS-080 (para Rochedo) e MS-10 (estrada para Rochedinho), onde ainda não foram feitos 800 metros que restam para atingir a MS-10 porque é necessário concluir a desapropriação de parte de duas propriedades localizadas no traçado, onde também será construído um trevo de acesso ao “braço” norte do macroanel.

Nos próximos meses será licitada a construção de uma rotatória para regular o fluxo de acesso e saída da MS-080 e de um trevo na MS-010. Na BR-163, a concessionária que adminstra a rodovia anunciou a construção de um mergulhão.

Impasse

Ao longo de mais de uma década, contando desde o lançamento da obra, o cronograma de execução vem sendo travado por questões orçamentárias, dificuldade de negociar a desapropriação ou cedência da faixa de domínio com donos de 46 propriedades existentes ao longo do percurso. Há três meses, foi concluída a negociação com dois proprietários, o que permitiu avançar na terraplenagem num trecho intermediário entre a MS-010 e a ponte sobre o Córrego Botas. “Por meses, ficamos de mãos atadas. Não havia como avançar porque havia um trecho de aproximadamente quatro quilômetros, que atravessavam justamente duas fazendas onde a desapropriação não evoluiu por falta de acordo com os donos das áreas”, comenta o secretário de Infraestrutura, Valtemir de Brito.

Este trecho do macroanel é estratégico, segundo o prefeito Gilmar Olarte, porque cria uma alternativa de acesso, sem passar pelo centro da cidade, ao distrito industrial de Indubrasil para os caminhões que vem pela BR-163 trazendo soja das regiões produtoras de Mato Grosso do Sul (São Gabriel do Oeste, Sonora) e de Mato Grosso.

Confira também

Iagro-MS emite alerta para morcegos-vampiros que já mataram mais de 100 bois

A raiva bovina já matou mais de 100 animais na região nordeste de Mato Grosso do Sul e …