“O esporte é a maior inclusão social que existe”, diz medalhista Davi Albino

O caminho de sucesso de um atleta por vezes vai além da superação dos limites físicos. É o caso de Davi Albino, ex-guardador de carros de 29 anos que ganhou a medalha de bronze na luta greco-romana – categoria 98kg – dos Jogos Pan-Americanos de Toronto.

“Para mim a Bolsa-Atleta foi uma ferramenta fundamental. Quando passei a receber, não tinha nada. Foi quando parei de tomar conta de carro”, revelou Davi Albino, em entrevista ao Brasil 2016. “O bolsa atleta ajuda muito as pessoas a se manterem no esporte”, disse Albino, que hoje recebe o Bolsa Pódio do governo federal.

O atleta relatou que as dificuldades aumentaram quando a mãe perdeu a casa para o tráfico de drogas. Ele chegou a vigiar carros para ajudar no orçamento doméstico até encontrar uma nova oportunidade por meio da prática esportiva.

Albino contou que o esporte o ajudou a manter o foco e a disciplina, além de afastá-lo de hábitos como a bebida. “O esporte para mim é a maior inclusão social que tem, você não precisa gastar dinheiro para entrar. A luta é barata, você coloca um short e vai treinar, descalço mesmo, do jeito que estiver”, opinou o atleta. “O esporte só tem a acrescentar à vida das pessoas”.

Ele descreveu sua experiência no Pan como emocionante. “É a minha primeira medalha, não tenho palavras para expressar a felicidade, ainda mais com todos da minha família me vendo lutar ao vivo”, disse o atleta. “Me dediquei ao máximo. No ano que vem tem Olimpíada, espero me classificar e trazer a primeira medalha olímpica para a luta greco-romana no Brasil”.

Confira também

Vasco apresenta balanço financeiro e anuncia dívida superior a R$ 800 milhões

Em evento inédito no clube, o Vasco realizou uma coletiva – em forma on-line – …