Já na Austrália, Fanning “agradece” tubarão e descarta abandonar o surfe

Dois dias após escapar ileso de ataque de tubarão na final de J-Bay, na África do Sul, tricampeão concede entrevista ao lado de Julian Wilson em Sydney e celebra milagre

 

Nada como estar de volta à sua terra natal após um grande susto. Dois dias depois do terror vivido no último domingo, ao ser surpreendido por um tubarão durante a final da etapa de J-Bay, na África do Sul, o tricampeão mundial Mick Fanning desembarcou na Austrália. Ao lado do compatriota Julian Wilson, que também estava na água durante o incidente, Fanning deu entrevista coletiva nesta terça-feira em Sydney, e descartou abandonar o surfe após o susto:

– Estou feliz de estar aqui para contar essa história. Simplesmente tive sorte. Não era a minha hora. O surfe me ajudou a passar pelos momentos mais difíceis da minha vida, então desistir do surfe não seria o certo. Sair de um ataque de tubarão sem nenhum arranhão é realmente um milagre. É preciso contar suas estrelas da sorte. E, caso exista alguém lá em cima olhando por mim, muito obrigado – desabafou.

Também presente na coletiva, Julian falou sobre o que sentiu no episódio e explicou sua reação de ir em direção de Fanning para tentar ajudar o amigo. Tal atitude lhe rendeu um “prêmio de bravura” de autoridades australianas.- Sinceramente, eu congelei. Fiquei enlouquecido. Atravessei uma onda rezando para que ele estivesse lá, e não uma poça de sangue por toda a parte. O pior cenário passa em sua cabeça. Eu achei que não conseguiria chegar a tempo. Foi um sentimento horrível – contou Julian.

Julian Wilson observa Mick Fanning durante coletiva em Sidney, Austrália (Foto: Getty Images)
Julian Wilson observa Mick Fanning durante coletiva em Sydney, Austrália (Foto: Getty Images)

Fanning conta que ainda tem todo o episódio muito vivo em sua memória. Ele conta que, quando caiu na água e perdeu a prancha ao levar uma pancada no rosto, achou que não teria mais chances de escapar:
– Eu me senti insignificante. A coisa era muito forte e se movia muito rápido. Não sei por que ele não me mordeu. Ele ficava voltando. Eu ficava tentando colocar a prancha entre nós. Não sei se o soquei forte ou se foram socos de bebê. Era lutar ou fugir. Quando minha prancha sumiu, eu pensei que estivesse acabado. Fiquei só esperando – relatou Mick.

Mick Fanning e Julian Wilson em entrevista coletiva em Sidney, Austrália (Foto: Getty Images)
Jornalistas e fotógrafos compareceram em peso para entrevista de Mick Fanning e Julian Wilson (Foto: Getty Images)

Ainda se recuperando do trauma, o australiano admitiu que precisará de um tempo para superar completamente o episódio:
– É mais emocional, um trauma psicológico. Provavelmente precisarei de algumas semanas, meses, não sei quanto tempo vai levar. Só posso agradecer em ter tantas pessoas ótimas ao meu redor – disse.

Mick Fanning, em entrevista coletiva em Sidney, Austrália (Foto: AFP)
Mick Fanning, em entrevista coletiva em Sydney, Austrália (Foto: AFP)

Dono de três títulos em Jeffreys Bay, palco do ataque, Fanning garante que, apesar de todo o trauma, voltaria à praia sul-africana para competir.
– É um animal selvagem. Eles tomam atitudes quando estão com fome. J-Bay é um lugar tão bonito, estou realmente triste de ter acontecido em um dos meus três lugares preferidos no mundo. Eu preciso voltar. Vai ser difícil, mas é preciso encarar isso de frente. Eu lidarei com isso quando retornar.

Mick Fanning, em entrevista coletiva em Sidney, Austrália (Foto: Getty Images)
Australiano sob os holofotes após drama (Foto: Getty Images)

Perguntado sobre o que diria caso encontrasse o tubarão novamente, Fanning quebrou o clima de tensão e brincou:
– Obrigado por não ter me comido! – disse rindo.

Mick Fanning, em entrevista coletiva em Sidney, Austrália (Foto: AP)
Apesar do trauma, Mick Fanning ainda teve tempo para bom humor (Foto: AP)

Confira também

Conmebol define tabela da Copa América no Brasil

A Conmebol anunciou o calendário de jogos da Copa América. A competição anteriormente agendada para …