Expobel gera emprego e renda e fortalece a economia de Bela Vista

A agitação é grande nos bastidores de uma das mais tradicionais feiras agropecuárias de Mato Grosso do Sul. Equipes de trabalho se movimentam de um lado para o outro. Tudo deve estar pronto quando os portões do Parque de Exposições Rio Apa se abrirem, dando início à Expobel [Exposição Agropecuária de Bela Vista].
O evento acontece ininterruptamente há 44 anos, no mês de julho, e é organizado e realizado pelo Sindicato Rural de Bela Vista. A primeira Expobel aconteceu no ano de 1972, no então estado de Mato Grosso, ainda uno. De lá para cá, muitas coisas mudaram, a feira se consolidou como maior festa da fronteira, ganhou investidores, expositores e conquistou a credibilidade do público.
Veterana na Expobel, Alice Aranda trabalha em um dos restaurantes do parque há 25 anos. A comida é simples, mas temperada com capricho. Ali comem os patrões, os peões, os laçadores, os funcionários e a gurizada que conhece o local como Barraca da Dona Lurdes. Dona Lurdes, mãe de Alice, foi a pioneira no ramo de alimentação para atender o público que frequenta o evento. Desde a primeira edição, já servia a “comidinha caseira”, agradando ao paladar campeiro. Em 2013, Dona Lurdes, aos 82 anos, não resistiu ao câncer e partiu para a viagem além da vida. Atendendo ao pedido da mãe, Alice continuou abrindo o estabelecimento durante os 10 dias de exposição. “Tenho quatro senhoras que trabalham comigo. Elas ficam esperando, ansiosas, o mês de julho para serem chamadas. Nesta época, ganham um dinheirinho a mais. Para elas é muito importante essa renda extra. São pessoas simples e precisam de trabalho”, conta.
Assim como o restaurante de Alice, outros segmentos geram emprego e renda durante a Expobel. O empresário João Sadim participa da feira há 12 anos e contratou 23 pessoas para esta edição. Sua empresa é responsável pela limpeza do parque antes, durante e depois do evento. “Nós contratamos pessoas daqui do município mesmo, pagamos a diária e a alimentação. Quando faço feiras em outras cidades, também levo pessoas daqui. Em Bela Vista tem muita mão de obra.”
Anualmente, passam pelo Parque de Exposições Rio Apa cerca de 80 mil pessoas. Com o público numeroso, garantir a segurança é fundamental. Carlos Cândido da Silva é proprietário da Karbeck Segurança, empresa que atende a Expobel há 12 anos. “Este ano minha equipe conta com 40 funcionários. Só não contratamos mão de obra daqui, porque é preciso que o funcionário tenha um curso específico. É uma exigência da Polícia Federal, que é o órgão fiscalizador das empresas de segurança privada.”
O economista e produtor rural Flávio Dinis Fernandes resolveu usar a experiência que ganhou nos rodeios de Barretos (SP) para colaborar com o Sindicato Rural. Há cinco anos organiza os rodeios da Expobel. “Procuramos contratar toda a equipe e empresas de Bela Vista, só alguns fornecedores que são de fora. Isso deixa o evento mais barato, reduz os custos em até 50%. Assim, o Sindicato consegue oferecer ao público uma atração de lazer com entrada franca.”
Valtinho Moreira vive com o “pé na estrada”, de exposição em exposição, com sua loja itinerante, o empresário do setor de moda foi ganhando a clientela em todo o estado. Há seis anos trabalhando em feiras agropecuárias, já projeta uma loja na capital. “O mercado é bom e temos produtos de qualidade, com bons preços. Fidelizamos vários clientes e quando eles vão a Campo Grande querem saber onde é minha loja. Por isso, estamos estudando essa possibilidade de abrir uma sede na capital”, diz.
Zelador do Parque de Exposições, Dionísio Rodrigues Barbosa acredita que a Expobel é muito importante para o município. “Vem muita gente de fora, conhecemos pessoas novas, e a cidade fica movimentada. Faz 10 anos que trabalho aqui e gosto muito quando tem exposição”, comenta.
Além das empresas que prestam serviços durante a Expobel, o Sindicato Rural de Bela Vista contrata todos os anos cerca de 30 pessoas, que trabalham dois meses no sistema de diárias.
Assim como a Expobel, outras feiras agropecuárias e festas de laços movimentam a economia dos municípios do interior de Mato Grosso do Sul. Desde que assumiu a presidência do Sindicato Rural de Bela Vista, Marcelo Loureiro de Almeida vem reivindicando maior empenho do poder público no que diz respeito a realização desse tipo de evento. “Em Bela Vista, em virtude da Expobel, o mês de julho é o segundo mês do ano com maior número de vendas em alguns setores do comércio, ficando atrás apenas do mês de dezembro”, destaca.
Durante a solenidade de abertura da Expobel, que aconteceu no dia 17 de julho, Marcelo Loureiro propôs a constituição de uma Comissão Estadual de Eventos Agropecuários e Esportes do Meio Rural. Segundo ele, “a Comissão terá como finalidade a criação de diretrizes para a realização de eventos desta natureza. Com isso, estaremos organizados e respaldados de argumentos para reivindicarmos aos poderes públicos a viabilização de recursos aos sindicatos rurais para a promoção de feiras, exposições, laçadas e rodeios. As feiras agropecuárias reafirmam nosso status de estado produtor de grãos e carne”.

Confira também

Representantes do setor rural de Coxim e Rio Verde comemoram criação da Deleagro

A criação da Deleagro (Delegacia Especializada de Combate à Crimes Rurais e Abigeato) pelo Governo …