Dourados comemora ações anunciadas pelo governo do Estado para a saúde

A ativação do Hospital São Luiz será um marco para Dourados, após luta do prefeito Murilo ao lado do secretário de Saúde Sebastião Nogueira por esta unidade que será destinada à realização de cirurgias eletivas. A meta é zerar a fila por este tipo de procedimento que é um dos grandes gargalos do município.
Na manhã desta segunda-feira, dia 6, na sede do Hospital, foi assinado pelo governador Reinado Azambuja, Murilo e demais autoridades documento que prevê a transferência pelo Governo do Estado à Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados), o valor de R$ 1,2 milhão para a aquisição dos equipamentos do Hospital. O aparelhamento já está na unidade.
“Podemos dizer que já está 95% pronto para que a unidade entre em funcionamento, precisamos definir a questão da gestão, para fazer a contratação dos profissionais”, relata Nogueira.
Segundo Reinado, a gestão da unidade ficará a cargo do Estado. Ele afirma que fará o encaminhamento à AL (Assembleia Legislativa) de um projeto que regulamenta a lei que permite pelo governo o uso de OSs (Organizações Sociais) para fazer a gestão de unidades hospitalares. Assim que este for aprovado o projeto, será criada a OS que administrará a unidade. Tudo será feito em regime de parceria com o município.
Nogueira lembrou que todo o trabalho do município que está resultando na ativação do Hospital São Luiz é uma luta dele e do prefeito Murilo desde o ano passado e que agora se torna realidade. “A gente lutou, apresentou o projeto para o governador, conseguiu estabelecer esse consenso, enfrentou e agora está saindo do papel. Será um passo muito importante para a Saúde de Dourados dentro do que estamos fazendo”, relatou.
O Hospital dá suporte a uma ampla reestruturação que vem sendo feita na saúde de Dourados, com avanços nas mais diversas áreas. Na atenção básica há melhorias, hoje não faltam médicos ou medicamentos e todas as unidades de saúde passam por uma revitalização. A estrutura de urgência e emergência foi toda reformulada com a instalação da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) 24h.
A partir de agora, o gargalo das cirurgias eletivas deve chegar ao fim. “O Hospital Universitário é o contratado para fazer essas cirurgias, mas não vem cumprindo a meta e isso tem gerando filas e demandas. Com o Hospital São Luiz esperamos que isso seja solucionado”, relatou. As eletivas são aquelas cirurgias que não são caracterizadas como de emergência, ou seja, que o paciente precisa fazer, mas que podem ser agendadas, como por exemplo, as cirurgias de catarata, próteses, coluna, entre outros.
Em seu discurso, o secretário falou com firmeza sobre o subfinanciamento da saúde pública, principalmente por parte da União, e que tem prejudicado Dourados. Para isso citou exemplos de outras macrorregiões do Estado, como Campo Grande e Corumbá, que recebem proporcionalmente recursos muito superiores aos de Dourados para o atendimento à sua população. “A União implanta programas, constrói prédios e empurra a responsabilidade financeira para o município resolver, com programas subfinanciados”, relatou Nogueira.

Confira também

Governo cria programa para incentivar o exercício da cidadania em MS

Para incentivar o exercício da cidadania nos sul-mato-grossenses, o governo do Estado criou o programa …