Bem preparada, seleção de judô mira todos os pódios no Pan de Toronto

O judô brasileiro chegou a Toronto, no Canadá, com objetivos ousados: conquistar 14 medalhas e voltar para casa com todos os atletas subindo ao pódio. Com uma preparação forte para os Jogos Pan-Americanos, os judocas estão focados e confiantes para cumprir a missão traçada pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ). A meta é realista, pois a modalidade oferece aos esportistas todas as condições de treinamentos, estrutura e viagens internacionais, com intenso investimento do Ministério do Esporte.

Contratação de Comissão Técnica permanente, aprimoramento técnico dos atletas inseridos no programa Bolsa Pódio do Plano Brasil Medalha e o Centro Pan-Americano de Judô, em Lauro de Freitas, na Bahia, são alguns dos investimentos que possibilitam colocar o judô brasileiro entre os melhores do mundo.

Treinador da seleção brasileira masculina, Luiz Shinohara, analisa a importância do apoio do governo federal para o desenvolvimento do judô no Brasil. “Tenho certeza absoluta que se não houvesse esse incentivo por parte do Ministério do Esporte, a gente não teria as condições que temos hoje. O atleta necessita de uma boa infraestrutura para ter um treinamento de qualidade. E esse centro de treinamento na Bahia veio a calhar. Hoje, a gente tem um centro de treinamento onde podemos fazer concentrações, reunir os atletas de todo o Brasil e oferecer um treinamento de qualidade. Fora isso, há toda a ajuda ao atleta em relação a viagens, treinamento, intercâmbio. Eu não conheço outro país em que os atletas tenham tanto apoio. Pelo menos dentro do judô. O Brasil nesse sentido está bem avançado”.

Dos 14 representantes do país no tatame, 13 fazem parte do Bolsa Pódio, apoio financeiro para os atletas com chances reais de medalhas nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. No feminino, Érika Miranda, Maria Portela, Maria Suelen Altheman, Mariana Silva, Mayra Aguiar e Rafaela Silva. Já no masculino, os contemplados são Alex Pombo, Charles Chibana, Felipe Kitadai, Luciano Corrêa, Tiago Camilo, Victor Penalber e David Moura.

Uma das principais chances de medalhas é na categoria até 90kg. Thiago Camilo terá um desafio especial, já que poderá se tornar o primeiro tricampeão da modalidade. “Estou muito feliz em ter essa possibilidade de me tornar o primeiro tricampeão. Eu tive uma carreira muito longa no judô e se conseguir esse título vou ficar muito contente por escrever o meu nome na história do esporte”, disse Camilo, que conquistou ouro no Pan do Rio de Janeiro em 2007 e em Guadalajara, no México, em 2011.

Para alcançar a meta traçada pela seleção, Érika Miranda, destaca a preparação especial. “Nas outras edições do Pan nós chegávamos bem em cima da hora, muito próximos das competições. Neste ano tivemos um preparação antes em Mangaratiba, até testamos as instalações que vamos utilizar na preparação para as Olimpíadas do Rio, e estamos em Toronto com uma semana de antecedência. Isso dá uma tranquilidade maior para representar o país”, conta a favorita ao ouro na categoria 52kg.

Para Luciano Corrêa, -100kg, o patamar de excelência que o judô alcançou só é possível porque na retaguarda todos os envolvidos estão empenhados em fazer a modalidade crescer cada vez mais. “Sabemos da importância do Pan e dos outros atletas ao redor da seleção principal, que nos ajudam no apoio durante os treinamentos. No início do ano fizemos várias viagens e intercâmbios para chegarmos preparados. Passamos três semanas no Japão, com a seleção, e tivemos o estágio de dez dias em Mangaratiba. O trabalho foi bem feito”, disse.

Com ótimos resultados em 2015, a paulista de Atibaia, Nathália Brigida, 48kg, substituirá a medalhista olímpica Sarah Menezes, que foi poupada da competição. A jovem entrará na Vila Pan-Americana nesta quinta-feira (09.07) para se aclimatar e sonhar com 2016. “Nós estamos muito preparados para conseguir bater a meta e ir além das expectativas. E não só as 14 medalhas, mas a qualidade dos pódios. Trato essa competição como uma nova experiência na minha carreira e vejo que será muito importante. O título será o resultado de tudo que estamos fazendo aqui.”

Confira também

Eliminatórias: com retorno de Neymar, Brasil enfrenta Colômbia

Com o retorno do atacante Neymar, o Brasil enfrenta a Colômbia pelas Eliminatórias para a …