ANTT acolhe sugestões da Prefeitura de Campo Grande e garante obras no macroanel

O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte, revelou durante reunião em Brasília com mais de 20 prefeitos de cidades impactadas com a duplicação da BR-163, que a prioridade do município neste momento é elaborar estudos e projetos detalhados, que trarão especificações sobre o fluxo atual e a demanda potencial de crescimento do tráfego no macroanel rodoviário nos próximos anos, em cada um dos 10 trechos onde o município propõe travessias. A reunião aconteceu na tarde da na última quarta-feira (8), na sede da Agência Nacional de Transporte e Terrestre (ANTT).

A afirmação de Olarte passa a integrar uma série de posicionamentos firmes do executivo municipal diante do imbróglio da duplicação da BR 163, e surge logo depois de Olarte obter a garantia da ANTT de que oito intervenções viárias necessárias para garantir a travessia ao longo dos 30 quilômetros do macroanel rodoviário, extensão da BR-163, que devem ser duplicados nos próximos três anos.

A cobrança destas intervenções toma como base estudos técnicos do Instituto Municipal de Planejamento (Planurb), que sustentam a necessidade de obras de travessia, sejam mergulhões, viadutos, novas alças de acesso ou mesmo passarelas. A Prefeitura já iniciou o processo de contratação destes estudos que servirão de contraponto ou complementarão os dados que a CCR MS VIA, concessionária que administra a rodovia, está usando para definir as intervenções.

O projeto preliminar da duplicação que previa apenas quatro pontos de travessia na zona urbana (ante os 10 indicados pelo município). Diante do risco de isolamento de bairros na saída para Três Lagoas, que concentram 150 mil habitantes, o prefeito admitiu até a possibilidade de não licenciar a obra, nem de emitir o GDU (Guia de Diretrizes Urbanísticas). Estas obras complementares estão orçadas em R$ 350 milhões, “passivo que não pode ser assumido pela Prefeitura”, como afirma o prefeito.

Em Brasília

A reunião desta quarta-feira teve a participação de 20 prefeitos das cidades impactadas com a duplicação da BR-163; do presidente da Câmara de Campo Grande, Mário Cesar (PMDB); de integrantes da bancada federal e do secretário-executivo do Ministério dos Transportes, Edson Giroto, além do presidente da concessionária, Mauricio Negrão.

Conforme Olarte, os técnicos da ANTT deixaram claro que o projeto de duplicação da rodovia vai respeitar as peculiaridades de cada cidade. “Todas as demandas dos municípios que tiverem embasamento técnico serão acolhidas no projeto. Não haverá uma proposta de cima para baixo, imposta pela concessionária”, explica o prefeito.

Segundo o presidente da Câmara, Mário Cesar, a reunião na ANTT foi positiva porque ficou assegurado que o projeto da duplicação da BR-163 vai ser precedido de ampla discussão com o município. “Câmara e Prefeitura estão juntos nesta mobilização para assegurar que os interesses de Campo Grande, não só em relação ao macronel, mas também no Distrito Anhanduí, serão contemplados”.

Confira também

Veículos com placa final 0 tem até dia 31 de outubro para quitar licenciamento

Outubro é o ultimo mês do calendário de licenciamento para o exercício 2021. Os proprietários de …