Amarildo Cruz denuncia descumprimento da Lei de Cotas pelo Estado

O percentual obrigatório de 18% de cotas para negros, indígenas e portadores de necessidades especiais em concursos públicos não tem sido respeitado pelo Estado. A denúncia foi trazida pelo deputado estadual Amarildo Cruz (PT) à tribuna da sessão plenária desta terça-feira (14/7).

De acordo com o parlamentar, a Secretaria de Administração do Estado, de 2008 até agora, tem dado interpretação errada à legislação e, ao invés de 18%, tem reservado 10% de vagas de todos concursos realizados. “Nesse período, as pessoas foram prejudicadas em seu direito e elas têm que recorrer ao Judiciário para corrigir essas distorções”, afirmou.

A lei 3.594, de 10 de dezembro de 2008, de autoria do deputado Amarildo Cruz, institui reserva de vagas de 10% para negros, de 3% para indígenas e de 5% para portadores de necessidades especiais aprovados em concursos públicos estaduais.

O deputado ressaltou que a aplicação errônea do percentual de cotas prejudicou o principal objetivo da legislação que é a transformação social. “É uma situação absurda. A lei é clara e não dá qualquer margem para erros. Por conta do achismo, o Estado agora corre o risco de ter que rever essa situação junto à Justiça”, enfatizou.

Confira também

Câmara de Jardim aprova por unanimidade aumento de repasse para UTIs do Hospital Marechal Rondon

Em sessão extraordinária presidida pelo vereador Glaucio Cabreira (PSDB), realizada na manhã desta quinta-feira (17), …