Velásquez e Werdum definem hoje quem é o real campeão dos pesados

Trocas de farpas e brincadeiras do brasileiro marcaram os bastidores do duelo, que traz o retorno do UFC ao México, com duas das maiores estrelas do Ultimate no país

 

Campeão linear do peso-pesado do UFC, Cain Velásquez não pisa no octógono desde a sua segunda vitória sobre Junior Cigano, em outubro de 2013. O lutador volta à ativa neste sábado, no retorno do Ultimate ao México, em combate contra o brasileiro Fabricio Werdum – dono do título interino – pela unificação dos cinturões da categoria.

– Só pode haver um campeão da divisão e é isso que vamos decidir dentro do octógono. Eu tenho o meu cinturão, o Cain tem o dele, e nós vamos entrar lá para ver quem é o melhor. Essa é uma luta que todo mundo está esperando, que o México quer ver desde novembro passado e
finalmente ela vai acontecer – disse o gaúcho, no início da semana.

 

Encarada Fabrício Werdum x Cain Velasquez, UFC 188 (Foto: Evelyn Rodrigues)
Lutadores não se cumprimentaram na pesagem realizada na sexta-feira, na Cidade do México (Foto: Evelyn Rodrigues)

É a primeira vez que o país verá a sua principal estrela ao vivo no octógono. Desde que Velásquez conquistou o título sobre Brock Lesnar, em outubro de 2010, ele se transformou, gradualmente, em um astro para a população local.

Rumores sobre uma possível ida do Ultimate ao México começaram a surgir em 2011 e se tornaram realidade no ano passado, quando a organização anunciou que faria uma versão do TUF na América Latina, com Cain e Werdum como treinadores das equipes.

Decepção mexicana

O programa foi sucesso de público, mas o tradicional combate entre os técnicos não aconteceu. Cain lesionou o joelho faltando cerca de duas semanas para o duelo e acabou sendo substituído às pressas pelo neozelandês Mark Hunt.

– Foi a maior frustração que o público poderia ter. O UFC finalmente estava no México, mas sem aquele que todos os mexicanos queriam ver. Foi realmente muito difícil para as pessoas entenderem que precisariam esperar ainda mais tempo para realizarem o sonho de verem o Cain
lutando aqui – explica Carlos Contreras, editor de esportes do jornal  “Milenio Diario”.

Sem Velásquez no card, Werdum aproveitou para tentar trazer a torcida local para o seu lado. Comentarista do canal latino do UFC, o brasileiro, que já morou na Espanha e é fluente em espanhol, escolheu até um clássico da música latina, a canção “Cielito Lindo”, de Quirino
Mendoza y Cortés, para fazer a sua entrada na arena. A estratégia funcionou e, sob os olhares atentos de Velásquez, que acompanhou o duelo da primeira fila, “Vai Cavalo” nocauteou Hunt com uma joelhada voadora e conquistou o cinturão interino do UFC.

Retorno ao México

Cain Velásquez Fabricio Werdum UFC 188 encarada (Foto: Evelyn Rodrigues)
Lutadores tentam unificar os títulos (Foto: Evelyn Rodrigues)

Com o sucesso de sua primeira edição, não demorou muito para o Ultimate confirmar o retorno ao México com os mesmos protagonistas iniciais. Desta vez, no entanto, o combate tem um significado mais especial: Velásquez e Werdum entram no octógono como campeões e duelam
para ver quem será o dono do título unificado.

– Eu me sinto muito bem. Estou feliz por finalmente realizar o sonho de lutar no México e porque fiz isso da forma correta e não aceitei lutar da primeira vez. Eu estava lesionado e poderia haver
questionamentos sobre o que eu sou capaz de fazer. Agora não há dúvida. Só pode haver um campeão na divisão e eu vou entrar lá e mostrar porque sou o campeão dos pesados – declarou Velásquez, o detentor do cinturão linear.

A expectativa para o combate é tanta que os 21 mil ingressos da Arena Ciudad de Mexico se esgotaram em uma semana. Mas o duelo ganhou ainda mais holofotes depois que uma declaração do gaúcho, afirmando que Velásquez era um “americano que pensa que é mexicano”, teve grande repercussão no país. Cain se irritou profundamente com a provocaçãoe se negou a cumprimentar Werdum em um café da manhã nos bastidores do UFC 188.

– Eu não gosto de pessoas falsas, de gente que, no dia anterior está falando mal de você e que, no dia seguinte tenta ser legal com você, se fazer de amigo. Se você quer ser de um jeito, seja assim, não tente ter duas caras. Eu não respeito isso. Todo mundo sabe o que ele disse
no dia anterior e está ok, mas fique com isso e seja essa pessoa, não tente ser meu amigo no dia seguinte, porque não vai funcionar. Eu sei o que eu sou. Sim, eu nasci nos Estados Unidos, meus pais são mexicanos, tenho muito orgulho de ter sangue de mexicano. Então para ele ter dito isso, não faz mal. Essa luta não é algo pessoal por causa disso. Eu sei o que tenho que fazer para vencer, sei minha estratégia e vou fazer isso. Não ligo para o resto – declarou.

Cain Velásquez Fabricio Werdum UFC 188 encarada (Foto: Evelyn Rodrigues)
Em raro momento, Cain Velásquez esboça um sorriso, enquanto Werdum ergue o cinturão (Foto: Evelyn Rodrigues)

Filho de pai mexicano e de mãe americana, Velásquez sempre se identificou com o México. A frase “Brown Pride” (orgulho marrom, em tradução livre) remete ao orgulho por ter sangue latino, está estampada em seu peito, assim como a imagem da Virgem de Guadalupe, tradicional no país, que está tatuada em sua costela.

Apesar do campeão linear afirmar que não levou a provocação para o lado pessoal, é visível em seu semblante a irritação com Werdum, que minimiza a proporção que sua declaração tomou e entra no evento deste sábado ainda mais extrovertido e confiante do que antes:

– Eu vejo uma luta bem difícil, porque a gente sabe que o Velásquez é um cara que vem para cima mesmo e não vai mudar o jogo dele completamente. Faz dois anos que ele não luta, não tem como ele mudar 100% o seu jogo. O Cain vai fazer o boxe, vai combinar com a parte do
wrestling e vai me botar para baixo. Todo mundo fala que ele não vai fugir do chão, e eu acho que ele vai querer ficar por cima mesmo. Eu vou ser bem paciente. Se puder nocautear ou finalizar antes, é óbvio que eu vou fazer isso. Mas é claro que nem sempre as coisas saem como
a gente quer, então eu acho que vai ser uma luta de três ou quatro rounds. Acho que vou vencer no quarto round, com uma finalização ou alguma surpresa, quem sabe um chute rodado? – declara.

O Combate transmite o UFC 188 ao vivo e com exclusividade neste sábado a partir de 19h45 (horário de Brasília), e o Combate.com acompanha em Tempo Real, com vídeo ao vivo das duas primeiras lutas do card preliminar. Confira o card completo:

UFC 188
13 de junho, na Cidade do México (MEX)

CARD PRINCIPAL – 23h (de Brasília)
Peso-pesado: Cain Velásquez x Fabricio Werdum
Peso-leve: Gilbert Melendez x Eddie Alvarez
Peso-médio: Kelvin Gastelum x Nate Marquardt
Peso-pena: Charles Rosa x Yair Rodríguez
Peso-palha: Tecia Torres x Angela Hill

CARD PRELIMINAR – 20h (de Brasília)
Peso-mosca: Henry Cejudo x Chico Camus
Peso-leve: Drew Dober x Efrain Escudero
Peso-galo: Alejandro Pérez x Patrick Williams
Peso-leve: Johnny Case x Francisco Treviño
Peso-meio-médio: Augusto Montaño x Cathal Pendred
Peso-pena: Gabriel Benítez x Clay Collard

 

Fonte: G1

Confira também

Vasco apresenta balanço financeiro e anuncia dívida superior a R$ 800 milhões

Em evento inédito no clube, o Vasco realizou uma coletiva – em forma on-line – …