Sindicato Rural de Maracaju participou do encontro para orientação para implementar centros de equoterapia.

Além de Maracaju, Representantes dos sindicatos de Itaporã, Jardim, Dourados, Rio Brilhante, Coxim, Nioaque e Aparecida do Taboado 

A parceria formalizada entre o Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural e o Sindicato Rural de Jardim possibilitou a implantação do Centro de Equoterapia ‘Passo a Passo’, que oferece gratuitamente atendimento terapêutico para crianças e adolescentes com deficiência ou necessidades especiais. O sucesso do projeto em Jardim despertou o interesse do Sindicato Rural de Maracaju e outros Sindicatos do estado para estarem participando de um encontro no dia 19 de junho com a equipe de planejamento do Senar/MS para orientar e sanar possíveis dúvidas sobre como implantar o Centro.

Em Jardim o projeto foi inaugurado em abril deste ano atende 40 pacientes semanalmente, com o trabalho desenvolvido por uma equipe multidisciplinar composta por psicólogo, fisioterapeuta, pedagogo e equitador.

No Sindicato Rural de Maracaju o projeto já está pronto e depende agora de parcerias para ser iniciado. A gerente da entidade, Cláudia Nogueira relata que ter um centro é um sonho acalentado há muito tempo. “Temos o espaço, os profissionais capacitados pelo Ande e uma demanda de 80 alunos, somente da Apae. Agora precisamos sensibilizar parceiros locais que auxiliarão no pagamento das despesas mensais”, finalizou.

Com a finalidade de apresentar o trabalho realizado no ‘Passo a Passo’, foi convidado o engenheiro agrônomo e ex-presidente do sindicato, Paulo Bózoli. “O processo de criação do projeto demandou uma pesquisa detalhada para sabermos quais os passos que deveríamos adotar, a fim de que o Centro cumprisse a responsabilidade social entre sindicatos rurais e comunidade”, salientou. O estudo foi apresentado como trabalho final de conclusão no programa Líder MS II – curso de especialização em Liderança Empreendedora do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS.

Bózoli esclareceu aos convidados a necessidade de visitar projetos em andamento e de preencher as informações solicitadas pelo Senar, como, por exemplo, sobre o local onde se pretende implantar o centro. “É importante que os responsáveis conheçam todos os critérios e visitem centros em funcionamento. Assim poderão avaliar se o sindicato pode atender a demanda. Gosto de reforçar que pior do que não ter um centro de equoterapia, é fechar um já existente”, ponderou.

Pioneirismo – Desde 2011, o Sindicato Rural de Brilhante desenvolve o atendimento para alunos da APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais. A equipe de trabalho participou de um treinamento em Brasília (DF), na Ande Brasil – Associação Nacional de Equoterapia e posteriormente, firmou parceria com a Prefeitura e a associação.

Representando o sindicato de Rio Brilhante, Adélia Monteiro Perdomo afirmou que o número de pessoas atendidas pelo projeto aumentou. “Iniciamos atendimento com 14 pacientes e atualmente são 28 atendimentos. Por isso ficamos interessados em participar da reunião para buscar novidades e saímos daqui decididos a trabalhar para ampliar o atendimento”, reforçou.

Fonte: Assessoria Famasul

Confira também

MP quer saber quanto Solurb recebeu para atender grandes geradores de lixo

O MPMS (Ministério Público de MS) quer saber qual o custo para os cofres de Campo Grande …