Professores acampam e fecham via em frente à prefeitura da capital de MS

Greve da Rede Municipal de Ensino completa 24 dias nesta quarta-feira.
Categoria quer 13,01%; prefeitura diz que não tem condições.

Professores acampam e fecham via em frente à prefeitura da capital de MS (Foto: Gabriela Pavão/ G1 MS)

Professores em greve da Rede Municipal de Ensino (Reme) de Campo Grande estão acampados desde às 7h (de MS) desta quarta-feira (17) em frente à prefeitura. Eles colocaram as barracas na calçada e no gramado da entrada da sede administrativa da capital sul-mato-grossense.

Professores fecharam trecho da avenida Afonso Pena em frente à prefeitura (Foto: Gabriela Pavão/ G1 MS)Professores fecharam trecho da Afonso Pena em
frente à prefeitura (Foto: Gabriela Pavão/ G1 MS)

A categoria pede 13,01% de reajuste salarial, que, segundo a classe, é em cumprimento à legislação.

A prefeitura diz que não tem condições financeiras de acatar o pedido e já fez propostas, as quais foram recusadas. A greve completa 24 dias.

“Não posso trabalhar como educadora para a cidadania e cumprimento da lei se o nosso prefeito não cumpre a própria lei”, fala a professora Silvana Sanches.

Os professores também fecharam um sentido da avenida Afonso Pena. Eles estão com apitos, bandeiras do Brasil, faixas e até com um boneco do prefeito Gilmar Olarte (PP).

Os professores reclamam que estão sendo pressionados a retomares as aulas, mesmo sem acordo. A categoria entrou em greve no dia 25 de maio.

A assessoria de imprensa da prefeitura disse, em nota, que não se trata de uma coação e sim uma convocação que faz parte das atividades para o planejamento do próximo semestre letivo, já que os contratos de professores ‘temporários’ vencem no dia 16 de julho.

Os professores estiveram reunidos em assembleia geral nesta terça-feira e decidiram manter a greve.

Confira também

Simone Tebet tenta reverter desvantagem em disputa no Senado no “corpo a corpo”

Para reverter a desvantagem na disputa pela presidência do Senado Federal em relação ao senador …