Claudio Forner realiza palestra sobre os novos desafios do varejo

Claudio Forner realiza palestra sobre os novos desafios do varejo

As mudanças do perfil do consumidor, as exigências do mercado e a evolução dos canais de vendas são alguns dos novos desafios do varejo brasileiro. O assunto foi tema da palestra do consultor empresarial e conselheiro do publicitário Roberto Justus no programa “O Aprendiz”, Cláudio Forner, na última quarta-feira (24/06), no Centro de Convenções Oswaldo Fernandes Monteiro, promovido pelo Sebrae em parceria com a Associação Empresarial de Jardim (AEJAR). O evento reuniu mais de 120 empreendedores de vários setores.

Segundo Forner, o varejo brasileiro vai passar por uma reformatação muito significativa nos próximos 10 anos e a figura de um novo consumidor é o principal desafio do setor. “Esse novo cliente é comodista, não cria vínculos, não tem fidelização, é mais exigente e compra de acordo com sua conveniência”, explicou.

Forner disse também que nenhum vendedor hoje está preparado para atender este tipo de cliente que, muitas vezes, é mais informado que o próprio vendedor. Isso porque, pesquisa antes de comprar um produto. Outra questão levantada pelo palestrante é o tempo, que hoje é muito mais valorizado. “As pessoas querem ter mais tempo para a saúde, lazer etc. A solução é reduzir o tempo gasto em atividades como as compras. O comércio precisa se automatizar, se simplificar para atender esta exigência do cliente.

“Uma empresa não perde mercado por não crescer, mas por crescer menos que o concorrente. Os empresários devem ficar atentos ao que ocorre no setor, num todo. Avaliar os concorrentes para entender o que acontece ao redor. Vocês devem prestar atenção no que acontece dentro da empresa. Saber o momento certo de mudar e inovar. Se eu não sei o que está acontecendo com a minha empresa, ela corre o risco de quebrar “, destaca Cláudia Forner.

Segundo Forner, um dos principais desafios para os empreendedores é a necessidade contínua de avaliar, analisar e perceber a hora de mudar e inovar. O momento da economia brasileira deixa muitos empresários receosos. Porém, a crise é passageira e faz com que os pontos fracos do empreendimento apareçam. Assim, a estrutura deve ser revista e reorganizada.

O consultor destacou que vivemos na era da recomendação. Antes de comprarmos, pesquisamos sobre as opiniões e experiências das pessoas com relação àquela determinada marca ou empresa. Assim, os comentários das pessoas se tornaram uma ferramenta de decisão do consumidor. “Sermos recomendáveis é mais importante que sermos competitivos”, completou. A recomendação também está sendo feita por meio de softwares avançados que rastreiam os últimos sites acessados ou uma pesquisa feita, e encaminham sugestões por e-mail ou para a região mais visível da primeira página que for aberta pelo usuário.

Para o consultor é a raridade que determina o valor das coisas. Não adianta achar que seu negócio é muito importante, se tem muita gente fazendo a mesma coisa. É preciso agregar valor, diferenciar sua empresa. “É isto que este varejo que está chegando ao Brasil tem mostrado para nós. E para isto é preciso ajustar o foco. Tragam o foco para vocês. Tragam a responsabilidade desta mudança para vocês. É isto que vai mudar o jogo. Mais ainda: inove para sobreviver”.

Confira também

Câmara de Jardim aprova por unanimidade aumento de repasse para UTIs do Hospital Marechal Rondon

Em sessão extraordinária presidida pelo vereador Glaucio Cabreira (PSDB), realizada na manhã desta quinta-feira (17), …