Casa da Mulher Brasileira atendeu em quatro meses mais de 2,6 mil mulheres

De 03 de fevereiro a 03 de junho deste ano, a Casa da Mulher Brasileira atendeu a 2.631 mulheres. Como cada uma delas recebe mais de um tipo de atendimento, ao todo foram mais de 9.7 mil procedimentos nesse período.

De acordo com a coordenadora da Casa da Mulher Brasileira, Liz Derzi de Oliveira, a equipe está pronta para o atendimento 24 horas. “Queremos encorajar a mulher e romper o ciclo de silencio da vida, porque aqui a gente tem uma estrutura que atende a mulher da melhor maneira possível. Após os primeiros atendimentos fazemos todos os acompanhamentos com apoio psicossocial, visitas da patrulha Maria da Penha”, frisou.

O prefeito Gilmar Olarte destaca parceria com o Governo Federal na construção e manutenção da Casa da Mulher Brasileira. “Nós contamos também com o apoio do governo do estado e do importante serviço da defensoria pública, Ministério Público, Judiciário, Delegacia da Mulher e da Patrulha Maria da Penha. Todos estes órgãos trabalham num só objetivo que é proteger a mulher campo-grandense”, frisou.

Para quem recebe o atendimento, o trabalho da unidade significa acolhimento e possibilidade de recomeçar. Aos 28 anos, a instrutora de auto-escola procurou atendimento na Casa da Mulher Brasileira devidos aos problemas com o ex-marido. “Tive alguns problemas com o meu ex-marido busquei atendimento no setor de psicologia. O que a gente precisa é de uma boa conversa e orientação para organizar a vida. Para mim o serviço foi muito bom, não foi somente o registro de boletim de ocorrência, o que valeu mesmo foi o atendimento para que eu pudesse buscar uma solução e seguir com a vida”, comentou.

De acordo com o professor de educação física Reomar Borges Nogueira enquanto as mães estão fazendo o boletim de ocorrência ou outros serviços da Casa da Mulher, as crianças ficam na brinquedoteca. “Aqui a gente faz com que as crianças brinquem até que suas mães fiquem mais calmas após o transtorno familiar. O objetivo da Casa é acolher e solucionar o problema das vítimas com problemas de ordem familiar”.

Casa da Mulher Brasileira

A Casa da Mulher Brasileira integra no mesmo espaço serviços especializados para os mais diversos tipos de violência contra as mulheres: acolhimento e triagem; apoio psicossocial; delegacia; juizado; Ministério Público; Defensoria Pública; promoção de autonomia econômica; cuidados das crianças – brinquedoteca; alojamento de passagem; e central de transportes.

Segundo os dados da unidade, desde a inauguração da Casa, passaram pelo setor de atendimento psicossocial, DEAM e Defensoria Pública 2.631 mulheres; no atendimento psicossocial foram 808 atendimentos; na DEAM 3.101; na Defensoria Pública 797 atendimentos; na Promotoria de Justiça foram 854; na Guarda Municipal, 877. Foi feito encaminhamento para emprego e renda de 94 pessoas, na brinquedoteca foram atendidas 456 crianças. No mesmo período, 112 mulheres receberam alojamento.

Confira também

Paulo Corrêa vai representar o governador Reinaldo Azambuja em agenda com Bolsonaro

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS), deputado Paulo Corrêa (PSDB) …