Brasil terá 123 atletas militares no Pan-Americano do Canadá

O Time Brasil que embarcará para Toronto, no Canadá, para disputar as medalhas nas diversas modalidades dos Jogos Pan-Americanos 2015, contará com 123 atletas militares. Esse contingente representa parte dos competidores que estão diretamente ligados à Marinha do Brasil, ao Exército Brasileiro e à Aeronáutica, dentro do Programa de Alto Rendimento dos Ministérios da Defesa e do Esporte.

Na prática, as Forças Armadas representarão mais de um sexto da quantidade de atletas. O percentual pode aumentar já que dentro das próximas horas serão definidos os jogadores convocados para as competições de basquete masculino e feminino e vôlei nas duas categorias. Existem oito jogadoras do basquete feminino e duas do vôlei feminino que podem ampliar essa participação militar no Pan.

O País terá uma delegação de 600 atletas das modalidades como atletismo, badminton, boliche, boxe, ciclismo de estrada, esgrima, golfe, handbol, judô, levantamento de peso, lutas associadas, entre outras. “Essa é sem dúvida a nossa maior participação em jogos pan-americanos, e estamos com atletas nesse grupo em condições de retornarem ao Brasil com medalhas”, avaliou o diretor do Departamento do Desporto Militar (DDM), do Ministério da Defesa, Major-Brigadeiro Carlos Augusto Amaral Oliveira.

“Além do Pan, estamos trabalhando de forma contínua para os 6º Jogos Mundiais Militares que vão ocorrer na Coreia do Sul, em outubro deste ano. Mas nosso objetivo maior é os Jogos Olímpicos Rio 2016”, disse o Major-Brigadeiro Amaral.

Alto rendimento

A maioria dos atletas militares faz parte da elite do esporte brasileiro e, desde 2008, do Programa de Atletas de Alto Rendimento (PAAR) das Forças Armadas. Em sintonia com o planejamento do Brasil no cenário esportivo, os Ministérios do Esporte e Defesa unem esforços para fortalecer o esporte nacional. O apoio visa dois objetivos comuns: defender a bandeira do país na 6º edição dos Jogos Mundiais Militares 2015, na Coreia, e nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Atualmente, 610 militares fazem parte do Programa Atleta de Alto Rendimento, sendo 222 da Marinha, 200 do Exército e 188 da Força Aérea Brasileira. “Esses atletas têm direito a soldos, 13º salário, locais para treinamento, recursos humanos qualificados nas comissões técnicas, participação nas competições do Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM), além de plano de saúde, atendimento médico, odontológico, fisioterápico, alimentação e alojamento”, afirmou o Major-Brigadeiro Amaral.

Os atletas também são beneficiados pelas bolsas Pódio e das categorias Olímpica, Internacional e Nacional do Ministério do Esporte.

Confira também

Gesto de Cristiano Ronaldo faz Coca-Cola perder US$ 4 bilhões

Cristiano Ronaldo parece não ser fã de refrigerantes e a demonstração pública disso custou bilhões para …