Bonito terá a 1ª Flib “Feira Literária de Bonito”

Durante o evento ocorrerão muitas atividades voltadas à literatura, contando com a presença de renomados autores e artistas brasileiros e regionais. Nessa primeira Feira o homenageado é o poeta Manoel de Barros, inspirando a temática: Literatura: o Delírio da Palavra”.

A Feira começa a construir um evento importante do calendário da cidade e a marcar sua projeção no roteiro turístico do Brasil. Contudo, o mais importante para o município é que sua população estará envolvida com o evento por meio da participação maciça da comunidade escolar.

Será um momento de atualização e construção do saber, reflexões e tomada de consciência, pois a FLIB trará como mote principal o Delírio da Palavra como apregoa, de várias maneiras, nosso poeta maior Manoel de Barros e o Delírio da Natureza, uma incursão na poética do Meio Ambiente, voltado para a juventude.

Importantes palestras e Mesas Redondas estão na programação, além de Oficinas especialmente pensadas para professores, acadêmicos universitários e alunos do 2º grau; atividades lúdicas com crianças do infantil e ensino fundamental, integrando Literatura e Meio Ambiente; lançamentos de livros e conversas com os autores; projeção de filmes; performances, intervenções, instalações, declamações, teatro e música integrados à literatura.

A abertura da FLIB, com a presença de autoridades e convidados, será no dia 8 de julho, às 20h na Praça da Liberdade local oficial da Feira, onde terá montado o palco, que estreará às 21h a peça do artista global Jonas Bloch “O Delírio do Verbo”. ] Todas as atividades da FLIB são gratuitas. A expectativa de público é o comparecimento das populações dos municípios vizinhos e de Campo Grande, além dos turistas que passarão por Bonito no período da Feira.

– OBJETIVOS

A FLIB oferece aos leitores, professores, estudantes, profissionais do livro e público em geral a oportunidade de:

Encontrar com renomados autores da literatura brasileira contemporânea em palestras e conversas;

Realizar oficinas para ampliar as possibilidades de estudo e de ensino da literatura, principalmente a professores das redes de ensino;

Ouvir profissionais que entendem da magia da contação de histórias e seu poder de transformação;

Estreitar as relações entre a literatura e o conhecimento sustentável;

Permitir que os alunos das redes de ensino participem de variadas atividades na Praça, produzindo poéticas próprias da idade;

Refletir e se conscientizar, de maneira poética, sobre a responsabilidade que tem a sociedade sobre o meio ambiente;

Apreciar espetáculos de teatro e de música. Por certo, ações dessa natureza podem despertar as crianças, os adolescentes e a população para o valor do seu patrimônio ambiental e minimizar as condições de degradação do meio ambiente ao qual eles pertencem. E mais, levam-nos a refletir sobre o desenvolvimento sustentável para a região.

Confira também

Prefeitura de Dourados intensifica fiscalização ao decreto de prevenção ao coronavírus

Com a implementação de uma força tarefa semanal, Comitê de Fiscalização da Covid-19 irá intensificar as ações …