Aprovados em concurso da Polícia Militar voltam a cobrar convocação

Remanescentes da Polícia Militar usaram a tribuna da sessão plenária desta quinta-feira (11/6), e voltaram a cobrar do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) a convocação para o concurso antes do fim do prazo no próximo ano. Aprovados na prova teórica em 2013, eles fizeram um apelo ao Executivo para que sejam cumpridas as demais etapas do certame.

Os remanescentes se mostraram revoltados com a convocação de 122 pessoas ao invés de 2.400 como havia sido garantido pelo governador durante campanha eleitoral. “São pais de famílias que continuam a acreditar no discurso do senhor governador. Pedimos com urgência a convocação”, ressaltou Erick Garcia.

De acordo com o candidato Marcelo Tosta, falta vontade política para resolver a situação. “O Estado sofre com a falta de efetivo e estamos querendo trabalhar. Enquanto isso, a população clama por segurança porque a violência só cresce lá fora”, afirmou.

O deputado estadual Pedro Kemp (PT), que lidera a Comissão de Segurança Pública na Casa de Leis, também se manifestou na tribuna e enfatizou a questão da falta de efetivo para atender a demanda de segurança do Estado.

Segundo ele, o índice de criminalidade aumenta a cada dia em função do baixo efetivo. “A reivindicação é para que sejam cumpridas as demais fases do concurso. É apenas isso que os remanescentes desejam. Essa luta não é para pedir emprego, mas para garantir segurança pública para a população”, destacou.

Confira também

Relatório final da CPI será lido hoje

O relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia será lido nesta quarta-feira (20) durante …