Após ser atendida duas vezes e ter alta, mulher morre em posto de saúde

Mulher de 34 anos morreu em posto de saúde de Campo Grande (Foto: Reprodução/ TV Morena)
Mulher de 34 anos morreu em posto de saúde de
Campo Grande (Foto: Reprodução/ TV Morena)

Uma mulher de 34 anos morreu em um posto de saúde em Campo Grande na noite de terça-feira (16), depois de ser atendida no local, desmaiar e ter alta médica no mesmo dia.

Segundo o boletim de ocorrência, ela deu entrada na unidade no começo da tarde, foi liberada horas depois, voltou a passar mal em casa e morreu depois de voltar ao posto.

A Secretaria Municipal de Saúde Pública da capital (Sesau) informou que vai investigar as causas do fato.

A família disse à Polícia Civil que a mulher passou mal por volta das 12h (de MS) e foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e levada até o Centro Regional de Saúde (CRS) Coophavila 2.

No local ela recebeu atendimento e ficou em observação durante a tarde. Por volta das 16h, a paciente teve alta médica e foi liberada, mas desmaiou enquanto saia do posto de saúde.

Mesmo depois do desmaio, os médicos mantiveram a liberação da mulher, que foi embora para casa de carona com um amigo.

Ao chegar em casa, ela voltou a passar mal e desmaiou de novo, cerca de uma hora depois de ter saído do CRS. A família ligou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) informando a situação da vítima e disse que recebeu a orientação de retornar ao mesmo posto de saúde por conta própria, já que o caso não era grave.

O coordenador do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Eduardo Cury, confirmou ao G1 que a orientação para o caso foi de que a família providenciasse o transporte da vítima até o posto de saúde, porque seria mais rápido e seguro do que esperar a ambulância.

Ainda conforme Cury, caso a família não tivesse condições fazer o transporte por meios próprios, a ambulância seria deslocada para o atendimento.

Um vizinho deu carona e levou a mulher até o posto de saúde, onde ela deu entrada em parada cardiorrespiratória. Segundo o boletim de ocorrência, os médicos tentaram manobras de ressucitação por cerca de uma hora, mas a mulher não resistiu e morreu por volta das 22h.

Consta ainda no registro policial que a mulher tinha histórico de fratura em membros inferiores, em acidente de motocicleta há cerca de dois meses. O caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Piratininga como morte a esclarecer. O corpo da vítima foi encaminhado para exame necroscópico.

Confira também

MS já soma 127 notificações de dengue em 2021

O SES (Secretaria Estadual de Saúde) divulgou, nesta quarta-feira (13), o primeiro boletim epidemiológico de …