Após confusão, Schimidt pede divisão do poder e PDT caminha para acordo

O ex-presidente estadual do PDT, João Leite Schimidt, trabalha para fechar um acordo e acabar com racha entre pedetistas. O presidente acredita que no máximo nesta terça-feira (23) o partido deve chegar a um acordo, que deve reconduzir Dagoberto Nogueira à presidência.

“Estamos conversando com os dois lados e vai dar certo. É só deixar todo mundo participar que dá certo. Todo mundo tem seu sonhos e objetivos”, justificou, ressaltando que Dagoberto deve ser eleito presidente estadual.

Schimidt é indicado do grupo dos deputados Beto Pereira e Felipe Orro para concorrer com Dagoberto, mas entende que não será preciso por conta deste acordo que costura. “A ciência da vida não é viver. Qualquer um vive. A ciência da vida é conviver com os sonhos de todo mundo. As pessoas estão aprendendo a viver assim”, concluiu.

Dagoberto Nogueira esperava ser eleito presidente na sexta-feira (19), mas acabou passando vergonha com um racha na presença de lideranças nacionais. Um grupo do partido, liderado por Beto Pereira, discordou da exclusão de alguns filiados da direção do partido e deu início a confusão.

Sem acordo, o diretório nacional deu até sexta-feira (26) para o partido escolher quem será o presidente estadual. Dagoberto chegou a responsabilizar “traidores” pelo episódio e o clima ficou tenso, mas Schimidt acalmou os ânimos com a proposta de divisão do poder.

Confira também

Câmara aprova texto-base que altera cálculo do ICMS sobre os combustíveis

A Câmara dos Deputados aprovou, na noite desta quarta-feira (13), por 392 votos a 71, …