Agência Fluvial comemora 150 anos Batalha Naval do Riachuelo

Toninho Ruiz

 

A Batalha Naval do Riachuelo, ou simplesmente Batalha do Riachuelo, travou-se a 11 de junho de 1865 às margens do arroio Riachuelo, um afluente do rio Paraguai, na província de Corrientes, na Argentina. Essa é considerada pelos historiadores militares como uma das mais importantes batalhas da Guerra do Paraguai (1864-1870). A data, importante para as Forças Armadas Brasileiras, especialmente para a Marinha, é lembrada todos os anos.

Para enaltecer a data que é a Data Magna da Marinha Brasileira, o comando da Agência Fluvial de Porto Murtinho comandado atualmente pelo capitão-tenente Alexandre Brandão da Silva em companhia do comandante do Navio de transporte Fluvial “Paraguassú”, o capitão de corveta Leandro Gomes Mendes, realizou na manhã de quinta-feira, 11, uma cerimônia cívico-militar para comemorar os 150 anos da Batalha Naval do Riachuelo, nas dependências da Agência. Estiveram presentes autoridades civis e militares, além dos alunos das escolas municipais, estaduais e os alunos que freqüentam o projeto “Esporte é Vida”, que é mantido pela Marinha em Murtinho.

Para a presidente da Câmara Municipal, vereadora Sirley Pacheco (PSB), comemorar a vitória da Batalha Naval do Riachuelo tem um marco importantíssimo na nossa história “porque se não fosse essa vitória, talvez estaríamos falando outra língua. Historicamente, foi o momento em que o Brasil realmente ganhou força para avançar e finalizar a guerra”.

Sirley também colocou a importância que a Marinha tem para esta região. “A Marinha é uma excelente parceira de Murtinho e dos povos ribeirinhos, ação que eles fazem e que vai muito além do que deve ser feito, pois tem todo um marco social onde nossa população ganha”.

Para o vereador e radialista Edicarlos Lourenço (PR), lembrou da importância dessa data para todos, “a comemoração dessa data é importante para todos os brasileiros, e aqui para nós representou a potencialidades econômicas da livre navegação da nossa hidrovia, representou o fortalecimento da presença brasileira nesse território e as potencialidades econômicas que decorrem daí. A presença da Marinha representa para nós, além da segurança, o fator muito preponderante na economia e na qualidade de vida do nosso povo, o vereador tem todos os motivos para estar aqui”.

O comandante da Agência, o capitão Brandão, explicou a importância das comemorações dessa data. “A Batalha Naval do Riachuelo foi um evento fundamental em dois pontos: primeiro para que a gente pudesse, naquela época, ganhar aquela guerra que nós estávamos travando e porque ela cortou a logística do oponente e nós fomos vitoriosos. Num segundo ponto, que é o ponto de vista social, que para mim é o mais importante, ela consegue fazer com que a Marinha dos brasileiros, porque é a Marinha do Brasil, mostre muito mais do que faz, interagir muito com a comunidade locais onde esta instalado uma unidade da nossa Marinha brasileira”.

A solenidade também serviu para o ato de troca de divisa, ou seja, a promoção de militares do efetivo local. Depois foi lido a Ordem do Dia emitido pelo Comandante da Marinha do Brasil, Almirante de Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira que diz: “Asseguro que nós, marinheiros, continuamos conscientes do dever de que nossos atos e aspirações não sejam nunca menores que a glória e a nobreza daqueles que nos precederam. Esta é a nossa tradição! Este é o verdadeiro sentido de comemorarmos o sesquicentenário da vitória na Batalha Naval de Riachuelo! Esta crença foi as nossas gêneses; foi o sentimento que impulsionou Barroso e seus comandados e deve ser o estímulo a manter nossa motivação: Tudo pela Pátria!”.

Em seguida foi lida a mensagem da presidente da República Dilma Rousseff que diz “Aos militares e civis, homens e mulheres que compõem as fileiras da Marinha, registro minhas felicitações pela Data Magna da Força que escolheram servir. Reafirmo minha confiança no trabalho que desenvolvem, de forma patriótica e dedicada, para a construção de uma país orgulhosos do seu passado e com visão de futuro, no qual imperem a justiça social, a soberania plena e a paz.

Parabéns às brasileiras e aos brasileiros que fazem da Marinha do Brasil razão de orgulho de todos nós!”.

 

A História

Considerada pelos historiadores militares como uma das mais importantes batalhas da Guerra da Tríplice Aliança (1864-1865), a Batalha Naval do Riachuelo, ou simplesmente Batalha do Riachuelo, travou-se a 11 de Junho de 1865 às margens do rio Riachuelo, um afluente do rio Paraguai, na província de Corrientes, na Argentina.
Embora os paraguaios pretendessem surpreender a Marinha do Brasil no dia 11 de Junho de 1865, cobertos pelo denso nevoeiro da madrugada naquela região e estação do ano, um problema mecânico em uma das embarcações paraguaias fez com que a esquadra de oito navios, sob o comando do Capitão-de-Fragata Pedro Inácio Mezza, chegasse ao local da batalha apenas às 9 horas da manhã, perdendo a vantagem tática.
A esquadra brasileira era comandada pelo Chefe-de-Divisão Francisco Manuel Barroso da Silva, o Almirante do Amazonas, que, após disputado combate, derrotou a força naval assaltante, tornando impossível a permanência das forças paraguaias em território da Argentina. Destacaram-se em combate as atuações do Guarda-Marinha Greenhalgh e do Imperial Marinheiro Marcílio Dias.
A vitória foi decisiva para a Tríplice Aliança, que passou a controlar, a partir de então, os rios da bacia platina até a fronteira com o Paraguai.

 

Confira também

Chamar clientes ‘no grito’ vira febre no Centro e pode render até R$ 1 mil por semana em Campo Grande

Ao caminhar pelas ruas de Campo Grande, principalmente na região central da cidade, encontrar pessoas …