Vereadores reúnem 10 assinaturas e pedem ‘CPI das contas públicas’

Vereadores de Campo Grande reuniram assinaturas suficientes para abertura da ‘CPI das contas públicas’ na Câmara Municipal. O objetivo, como o nome sugere, seria investigar a aplicação de dinheiro por parte do Executivo, que alega crise financeira.

A proposta de abertura de CPI foi feita por Paulo Pedra (PDT). Com ele, assinaram os colegas de oposição Alex (PT), Thais Helena (PT), Airton Araújo (PT), Luiza Ribeiro (PPS), José Chadid (sem partido) e Cazuza (PP); além de Chocolate (PP), Eduardo Romero (PTdoB) e Chiquinho Telles (PSD).

O requerimento foi apresentado à mesa diretora da Câmara Municipal. Durante a sessão e com uma assinatura a menos do que o necessário, Pedra fez aparte a pronunciamento de Chiquinho para desafiar os vereadores a assinarem o pedido de CPI, quando Chocolate, um dos 12 em plenário no momento, deu crivo à investigação e declarou-se fora da base aliada.

Pedra disse ter sido motivado a fazer o requerimento por haver necessidade de apurar a situação das contas do município. Segundo ele, entre 2012 e 2015 a Capital viu o orçamento crescer em torno de 50%, contrapondo ao discurso de crise financeira.

O pedetista disse, também, haver informações de funcionários nomeados na Prefeitura de Campo Grande e que moram em São Paulo. “Este é o problema”, comentou ele, referindo-se a discussões entre o município e diferentes categorias do funcionalismo por reajuste salarial.

Por fim, o autor do requerimento também disse que a Câmara Municipal é responsável pela atual condição do Executivo e “precisa dar uma resposta à sociedade”. Ele ainda reclamou de o prefeito, Gilmar Olarte (PP), ter declarado, segundo ele, que “o servidor ganha bem”.

midiamax

Confira também

MS é 1° no Centro-Oeste e 7° no ranking nacional de ambiente e potencial de negócios

Com investimentos, desburocratização e política de incentivos fiscais, Mato Grosso do Sul lidera a região …