Pedido de vistas adia julgamento de ex-vereador preso em escândalo sexual

O julgamento do pedido de habeas corpus do ex-vereador e advogado Robson Leiria Martins ficou para próxima semana. Em sessão da 3ª Câmara Criminal desta quinta-feira (21), o desembargador Dorival Moreira dos Santos pediu vistas do processo, de acordo com a assessoria de comunicação do TJ MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

A votação está empatada até agora. Nesta quinta, o desembargador Francisco Gerardo de Sousa deu voto contrário à prisão domiciliar e o desembargador Ruy Celso Barbosa Florence votou favoravelmente à concessão do benefício ao ex-vereador.

Em decisão do dia 12 deste mês, juiz Marcelo Ivo de Oliveira, da 7ª Vara Criminal de Competência Especial de Campo Grande, determinou que Martins cumpra prisão cautelar em cela especial, condizente com a condição de advogado.

Robson Martins está preso por ter sido flagrado extorquindo R$ 15 mil do então vereador Alceu Bueno (sem partido, ex-PSL). O dinheiro seria para impedir a divulgação de vídeos nos quais o agora ex-parlamentar aparecia praticando sexo com adolescentes.

O caso seria parte de um esquema de exploração sexual das jovens, que registravam os encontros com figuras públicas em câmeras escondidas. O conteúdo, em seguida, seria usado como meio de chantagem para extorquir os ‘clientes’.

Após a revelação do caso, que chegou ao conhecimento da polícia, Alceu Bueno renunciou ao cargo de vereador. Além dele, o ex-deputado estadual Sérgio Assis (sem partido, ex-PSB) também foi indicado por favorecimento à exploração sexual no caso.

Com Robson Martins foi preso o empresário Luciano Pageu, dono de uma revista direcionada ao público evangélico.

Confira também

Procon: pesquisa do Dia de Finados mostra diferença de até 500% no preço dos produtos

Pesquisa do Dia de Finados realizada pela Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon/MS) …