Mulher que morreu em ritual de Macumba sofria de ataques epiléticos

O caso de Lucimeire Rocha Cabral da Silva, de 46 anos, que morreu na manhã de domingo (3), nas proximidades da Cachoeira da Macumba, região norte de Campo Grande, será encaminhado para a 2ª DP (Delegacia da Polícia Civil), do Bairro Monte Castelo, área norte da Capital.

Por conta do plantão, os procedimentos ainda não chegaram à unidade, porém o titular da delegacia, Alexandre Evangelista, informou à equipe do Jornal Midiamax que a investigação a princípio será tratada como morte a esclarecer. “Devido à burocracia o boletim que foi feito na Depac neste fim de semana ainda não chegou aqui, porém já tive informações que a vítima vinha sofrendo, nos últimos dias, de ataque epilético. Mais um fato que vamos apurar”.

O fato ainda é tratado como morte a esclarecer, mas pode evoluir, caso o delegado encontre provas de que houve um crime no local. “Na tarde de hoje vou ouvir duas testemunhas que também estavam no ritual”, fala e acrescenta “também preciso dos laudos do Imol para esclarecer o caso”.

Confira também

Com Junho Vermelho, Hemosul abre durante o dia todo neste sábado

As ações de incentivo à doação continuam durante todo o mês de junho e agora …