Juiz que intimou vereadores quer ver inquérito do Gaeco sobre agiotagem

O juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos solicitou ao Ministério Público de Mato Grosso do Sul os autos do inquérito 2/2014, do Gaeco (Delegacia de Combate ao Crime Organizado).

Além de intimar 27 dos 29 vereadores que participaram da sessão de cassação do ex-prefeito Alcides Bernal na ação que pode resultar no retorno do político à Prefeitura, o magistrado quer saber se o conteúdo da investigação pode auxiliar no julgamento da ação, agora que ela não é mais sigilosa.

Neste processo, quatro pessoas chegaram a ser detidas e depois liberadas. Entre elas, dois guardas municipais por porte ilegal de arma de fogo, Ronan Edson Feitosa de Lima, ex-assessor de Olarte enquanto ele ocupava o cargo de vice-prefeito, e Salem Pereira Viera.

As investigações seriam sobre suposta compra de apoio político na Câmara Municipal e envolvem suspeitas sobre um esquema para arrecadar fundos com empréstimos de agiotas. O sigilo foi determinado por conta de escutas telefônicas e grampos autorizados pela Justiça para documentar e provar as acusações.

Confira também

Maconha que saiu de MS é apreendida em SP

Uma carga de maconha que saiu de Ponta Porã a 346 quilômetros de Campo Grande …