Vídeo flagra lutador com mãos sujas de sangue em evento ao fugir da polícia

Pouco depois de cometer assassinato, lutador apareceu em Campeonato de Jiu-Jítsu

O lutador Rafael Martinelli Queiroz, de 27 anos, preso depois de agredir a namorada, de 24 anos, e assassinar Paulo Cezar de Oliveira, de 49 anos, hóspede do Hotel Vale Verde, onde o casal também estava hospedado, foi visto no Campeonato de Jiu-Jítsu minutos depois de cometer o crime.

O suspeito, que mora em Araçatuba (SP), a cerca de 490 quilômetros de Campo Grande, veio à Capital para participar da 2ª edição do Campeonato “Black Belt Indoor” disputado apenas entre atletas faixa preta. O evento foi realizado no Círculo Militar, que fica na frente do hotel, na Avenida Afonso Pena, onde ocorreu o crime.

Segundo um lutador, que preferiu não se identificar, ele estava gravando uma das lutas quando o suspeito apareceu na quadra vestindo uma samba canção. Queiroz estava sem camisa e com as mãos sujas de sangue. De acordo com o relato, pouco depois a polícia também chegou ao local.

“Não entendi nada do que estava acontecendo. A princípio imaginei que ele tivesse brigado com alguém. Quando os policiais apareceram, pensei que estivessem atrás dele por causa de alguma briga. Depois disso ele escapou e a polícia foi atrás dele no hotel”, relata.

Conforme as informações, o suspeito não apresentava nenhum tipo de reação. Os lutadores que participavam do campeonato souberam do crime pouco depois que Queiroz deixou o evento. “Cerca de 15 minutos depois, uns lutadores que estavam no hotel explicaram o que estava acontecendo”, afirma.

O lutador, que gravou as imagens, destaca que o crime reforça uma imagem negativa sobre o esporte. “É mais um péssimo exemplo para o jiu-jítsu. Existe muita gente boa que pratica a luta, mas infelizmente tem uma minoria que mancha a imagem do esporte”, lamenta.

Assassinato

O crime aconteceu depois que o lutador descobriu que a namorada estava grávida. Ele teria suspeitado que o filho não era dele. Desconfiado que tivesse sido traído, ele agrediu a jovem e em seguida arrombou um dos quartos e matou a cadeiradas a vítima.

O lutador, que foi preso em flagrante e encaminhado para uma das celas do Garras (Delegacia Especializada em Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros), se mantém calmo.

De acordo com a Polícia Civil, o flagrante foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga e por conta do feriado, apenas na próxima quarta-feira (22) será possível informar qual delegacia ficará responsável pela investigação.

Confira também

Trem atinge carro que sofreu pane em trilho e mata mãe e filha no Paraná

Mãe e filha morreram após serem atingidas por um trem, na noite de sábado (27), …