Vereadores aceitam risco de perder mandato para concorrer a vice em 2016

A pouco mais de um ano para a próxima eleição, o clima já é de muita movimentação nos bastidores da Câmara de Campo Grande. Vereadores estão de olho nas estratégias partidárias e não descartam o risco de perder o mandato, concorrendo ao cargo de vice-prefeito.

Os vereadores Carlão (PSB) e Coringa (PSD) são dois exemplos de parlamentares que estão dispostos a disputar cargo majoritário. A dupla esclarece que o partido tem outros candidatos, inclusive ao cargo de prefeito, mas não descarta a disputa como vice, caso haja entendimento.

“Eu posso ser vice da Rose Modesto (PSDB) ou de algum outro candidato que o partido escolher”, revelou Carlão, ponderando que a prioridade é a candidatura de Tereza Cristina (PSB). O caso de Carlão é parecido com Coringa, que cita Antônio João como pré-candidato a prefeito, mas também não descarta que um dos vereadores concorram como vice.

Até o momento, Edil Albuquerque (PMDB) é o único vereador que não deve retornar a Câmara em 2017. Ele já avisou que não vai concorrer a reeleição e continuará na política por intermédio da liderança que pretende apoiar na próxima eleição.

Na legislatura passada os vereadores Athayde Nery (PPS) e Marcelo Bluma (PV) ficaram sem mandato para concorrer a cargos majoritários. Já o vereador Cristóvão Silveira (então PSDB) desistiu da reeleição.

Confira também

Sabatina de Mendonça pode ser resolvida na CCJ, diz Pacheco sobre impasse

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco(DEM-MG), afirmou nesta quarta-feira (13) que acredita que o impasse …