Suposto agenciador de menores vai pedir delação premiada, diz advogado

O advogado de Fabiano Viana Otero, Hamilton Ferreira de Almeida, declarou ao Jornal nesta quinta-feira (23) que pedirá delação premiada condicionada à revogação da prisão do seu cliente. Fabiano, também chamado de Fábio, é apontado nos depoimentos no escândalo de suposto esquema de prostituição envolvendo menores como o agenciador das meninas de 15 anos.

Segundo Hamilton, Fabiano está em Campo Grande e está bastante preocupado com o rumo das investigações e a sua situação, de acordo com o que tem saído na mídia, em relação ao seu envolvimento no caso.

“Só está estourando para ele conforme o depoimento das vítimas e testemunhas e isso está deixando o meu cliente preocupado”, afirmou. O advogado vai conversar com o juiz e o promotor nesta tarde e fazer o pedido.

Resposta a sociedade

Para Hamilton, a delação premiada é de interesse da sociedade. “Ele disse ter foto e ter vídeo sim e que pode fazer perícia. Temos que ver se ela (Justiça) vai se interessar no caso da delação premiada. Vai que não tem interesse. Tem que ter baseado no retorno para a sociedade, que é de materializar o envolvimento deles”.

A principal preocupação de Fabiano, de acordo com o advogado, é somente ele ser indiciado. “Todo mundo tem envolvimento e não pode sobrar só para ele. Se o inquérito policial não indiciar a todos, tem que arquivar todo o caso”, finalizou.

O caso

Tudo começou com um boletim de ocorrência registrado pela mãe de uma das menores no município de Coxim. Ela afirmou que a filha havia fugido de casa no dia 13 de março, levando consigo apenas uma mochila. A garota foi encontrada no dia 23 de março, na casa de Fabiano Viana Otero, com outra menor, também de 15 anos.

Fabiano e a menor disseram ao delegado que a outra adolescente foi encontrada perambulando pelas imediações da rodoviária. A jovem que fugiu de Coxim foi entregue para a mãe e Fabiano liberado, mas a outra adolescente contou detalhes do esquema de prostituição a uma conselheira tutelar.

A jovem revelou que Fabiano, também chamado de Fábio, conseguia clientes que pagavam quantias altas em dinheiro em troca de serviços sexuais. Foi a menor que contou a conselheira que saiu com o vereador Alceu Bueno no fim de semana dos dias 21 e 22 de março. Segundo a adolescente, ela foi levada até o encontro com o vereador por Fabiano e Luciano Pageu, preso em flagrante por extorsão na quinta-feira (17).

Segundo depoimento, durante encontro as jovens levaram uma câmera escondida em um controle remoto de abrir garagem para filmar a relação com o vereador e, posteriormente, extorqui-lo para conseguir dinheiro, que também seria dividido com elas.

Após depoimento, a polícia se dirigiu à casa de Fabiano e encontrou três cartões de memória micro SD. Em um dos cartões foram identificadas imagens da adolescente se encontrando com um indivíduo conduzindo uma Hilux, que estava registrada no nome do ex-deputado Sérgio Assis. As imagens mostraram a menor ingressando em um motel “onde a mesma mantém relações sexuais com um indivíduo masculino com características idênticas a Sérgio Pereira de Assis se comparada a fotografia extraída do Sigo”, diz parte do inquérito.

No dia 1º de abril a adolescente foi até a delegacia, onde confirmou que Fabiano arquitetou os programas e a extorsão ao vereador. As menores revelaram aos policiais que saíram com Alceu em duas oportunidades, munidas com a câmera, para depois extorqui-lo.

O primo de uma das adolescentes tomou conhecimento da situação porque viu conversas dela com outra prima, de Costa Rica. Ela estava convidando a prima para vir a Campo Grande. Segundo o primo, a menor não considerava as saídas como prostituição, porque entrava em contato com pessoas importantes para que elas saíssem com eles e filmassem, para depois extorqui-los. Segundo a adolescente, Fabiano prometeu para elas que em duas semanas, já milionários, eles se mudariam para São Paulo.

O primo da jovem entregou um micro SD com imagens de Alceu Bueno para o delegado. A menor disse ao primo que não sabia onde estava outro cartão, que segundo a polícia, é o encontrado na casa de Fabiano, com imagens de Sérgio Assis.

O ex-vereador Robson Martins e o empresário Luciano Pageu foram presos em flagrante, no estacionamento de um supermercado da Capital, na tarde de quinta-feira (17), ao extorquirem o parlamentar.

Na ocasião da prisão, o vereador Alceu Bueno entregava R$ 15 mil, em dinheiro, à dupla, uma espécie de segunda parcela – a primeira foi de R$ 100 mil – para evitar que supostos conteúdos comprometedores, incluindo fotos e conversas por mensagens de celular, relativos ao envolvimento dele com adolescentes. Estas, pelo menos, são informações que constam no material policial enviado à Justiça após as prisões.

Confira também

Segurança de casamento é esfaqueado por convidado e expulso de festa

Um segurança de 53 anos acabou esfaqueado durante a madrugada deste domingo (17), quando trabalhava …