Sem receber, funcionários param e asilo pede ajuda à população

Cerca de 80 funcionários que trabalham no Recanto São João Bosco, que atualmente atende cem idosos entre 70 e 116 anos, paralisaram os serviços. A greve teve início na manhã desta quarta-feira (15), por falta de pagamento salarial e deve seguir por tempo indeterminado.

A presidente do Senalba-MS (Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional do Estado), Maria Joana Barreto Pereira, diz que alguns funcionários ainda não receberam os pagamento referentes aos meses de janeiro, fevereiro e março. Além do salário, alguns trabalhadores aguardam o pagamento de férias, multas e décimo terceiro.

“A nossa expectativa é de que paguem. O Recanto tem recursos próprios para fazer o pagamento”, ressalta. A presidente do Senalba diz ainda que a SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social) não realizou o repasse de R$ 50 mil. “Tivemos uma conversa com a secretaria ontem (14), e eles disseram que não fizeram o repasse porque o Recanto não fez a prestação de contas”, defende.

O diretor do Senalba Euclides Silva dos Santos, declara que a falta de pagamento salarial é um problema antigo. “Houve várias promessas ao longo desses meses e que não foram cumpridas”, frisa. O cuidador de idosos Odair Augusto Aquino, de 35 anos, destaca que tem enfrentado dificuldades por conta dessa situação.

“Comprei uma casa financiada e estou com as parcelas atrasadas por falta de pagamento. Além disso tenho de depositar a pensão da minha filha, que também está atrasada. Se eu não fizer isso, corro o risco de ser preso e mesmo assim, apesar de tudo isso nós [funcionários] tentamos não abandonar os idosos, mas infelizmente chega um momento em que não tem mais condições”, lamenta.

A equipe de reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da Arquidiocese de Campo Grande e foi informada de que o posicionamento é mesmo da vice-presidente da Associação Recanto São João Bosco, Sônia Antunes Minder e que foi divulgado no site da Arquidiocese.

Em nota oficial a vice-presidente garante que “a maioria dos funcionários já receberam seus salários referentes aos meses de janeiro e fevereiro de 2015” e ressalta que “o repasse para o pagamento referente a março e todas as demais pendências serão regularizadas imediatamente após a liberação da próxima parcela dos convênios com a SAS”.

A assessoria de comunicação da Arquidiocese de Campo Grande destaca que o Recanto passa por uma crise financeira e depende que a população colabore com doações por meio da Unidade de Captação de Recursos.

A equipe de reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com a Prefeitura de Campo Grande e foi informada de que os valores referentes aos meses de janeiro e fevereiro foram repassadas. A assessoria de comunicação alega que não realizou o repasse referente a março por falta de prestações de contas do Recanto São João Bosco.

Midiamax

Confira também

Vacinas chegam em MS à tarde e campanha pode começar nesta segunda-feira

O Ministério da Saúde prevê que Mato Grosso do Sul e 25 unidades da Federação recebam suas …