Seleções Brasileiras de taekwondo traçam objetivos para 2015

ESPORTE

Os atletas que ingressaram Seleção Brasileira de Taekwondo de 2015, que se formou no último final de semana em Betim (MG), após a disputa do Grand Slam, já têm objetivos bem traçados para este ano.

Nas categorias juvenil e cadete, que se renovaram quase na totalidade, os atletas estão com foco total no Campeonato Pan-Americano, que se realizará no final do ano, mas ainda não tem data definida. Em 2013, o Brasil alcançou um recorde de medalhas na competição, subindo ao pódio 24 vezes e se classificando entre as três melhores equipes do evento. Na categoria adulto, o próximo grande desafio será o Campeonato Mundial, em maio, na Rússia, sendo que logo depois serão disputados os Jogos Pan-Americanos em Toronto, para os quais o Brasil conquistou todas as oito vagas, no início do mês de março, no México.

Um dos atletas que mostrou maior determinação na categoria juvenil foi Fagner Dantas, que veio de Saudade do Iguaçu (PR), uma pequena cidade com apenas cinco mil habitantes. O paranaense, de 15 anos, que se tornou titular na categoria -55Kg, elogiou o nível da competição e garantiu que pretende representar o país no Campeonato Pan-Americano com muita garra. “A dedicação que tive até aqui para chegar à Seleção vai continuar para me manter bem. Quero participar do Pan-Americano Juvenil e trazer uma medalha para o Brasil. O estado do Paraná ainda não conseguiu um ouro no Junior masculino em competições internacionais e eu quero ser o primeiro a realizar isso”, adiantou Fagner.

A acreana Liriel Feitosa, agora titular na categoria-44Kg Cadete, também realizou um sonho com esta conquista inédita da vaga para a Seleção Brasileira. “Será uma experiência única. Comecei no taekwondo com três anos, mas só a partir de 2011 foi que levei o treino a sério, com o objetivo de ser uma atleta da Seleção Brasileira. Batalhei muito para estar aqui e agora que cheguei quero aproveitar esta oportunidade ao máximo, pois é um sonho realizado. Mas eu quero sonhar de olhos abertos e pés no chão. Vou batalhar bastante para continuar aqui”, garantiu.

Na categoria Cadete, a única atleta da Seleção 2014 que conseguiu se classificar novamente foi potiguar Bruna Silva, titular na categoria +59Kg. “No ano passado participei do Mundial Cadete, a minha primeira competição internacional, e fiquei em sexto lugar. Então, neste ano quero ir para o Campeonato Pan-Americano e trazer a medalha para o Brasil”, declarou. Do Rio Grande do Norte também veio Nivea Silva, 17 anos. A jovem fez a dobradinha e conquistou pelo segundo ano consecutivo a titularidade na categoria -49Kg Juvenil.

Nivea também já tem experiência internacional visto e foi uma das atletas que representou o Brasil em Taipei, em 2014. “Ano passado participei do Pré-Olímpico Juvenil e do Mundial e fui para a Coreia com a Seleção para um treinamento, o que foi muito importante para toda a equipe. Foram experiências únicas. Nesse ano, quero ser campeã pan-americana e ganhar cada vez mais experiência, pois no próximo ano já transito para o adulto e quero me manter na Seleção”.

Lécio Mizael, técnico da Seleção Brasileira Juvenil analisou as mudanças na Seleção Brasileira. “Nos últimos anos, a Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD) abraçou as equipes de base como nunca antes havia acontecido. Com isso vemos que estas categorias vêm crescendo a cada dia. No último Campeonato Pan-Americano Juvenil, o Brasil ficou entre as três principais potências. No ano passado, trouxemos títulos inéditos como o ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude, com o Edival Marques. Neste ano, formamos uma equipe muito nova, com uma renovação quase total. Esses atletas vêm motivados pelas conquistas já alcançadas e com certeza vão querer escrever novos capítulos na história do taekwondo. No que depender da Confederação e da Comissão Técnica daremos todo o apoio possível para que representem o Brasil nos Jogos Pan-Americanos e continuem colocando o nosso país entre as principais potências”.

Confira também

Ítalo Ferreira é campeão olímpico no surfe

Ítalo Ferreira é o primeiro campeão olímpico da história do surfe. O brasileiro alcançou o feito na …