Renato Câmara pede redução da pauta tributária da mandioca e sugere o consumo da fécula na alimentação escolar

Como representante político do movimento dos produtores de mandioca do Estado, o deputado estadual Renato Câmara (PMDB) apresentou nesta terça-feira (31) na Assembleia Legislativa, duas indicações solicitando ao governo do Estado a redução do valor da pauta tributária da raiz crua e sugerindo ainda a oferta de derivados da mandioca na alimentação escolar.

Renato Câmara informou que participou de um grande movimento no município de Ivinhema onde esta semana os produtores de mandioca daquela região paralisaram as atividades para reivindicar melhor preço pelo quilo da raiz. “Apenas 1% são grandes produtores de mandioca. São mais de 40 mil hectares de cultivo da mandioca no Estado. Hoje a raiz está abaixo do custo da produção. Fizemos algumas indicações ao governador Reinaldo Azambuja para que possamos dar respostas a essas reivindicações dos produtores do setor. Uma delas é baixar a pauta para a raiz crua que hoje está em R$ 210. O ICMS incide sobre esse valor, mas a indústria paga em torno de R$ 140 a tonelada”, salientou.

A solicitação ao governo do Estado é para que seja viabilizada a redução do valor da pauta tributária a patamares do Estado do Paraná. Atualmente o setor passa por um momento de crise por causa da queda dos preços do produto e o valor de comercialização não é o suficiente para pagar os custos da produção. A redução da pauta permitirá a recuperação da competitividade do setor com outros estados.

Alimentação escolar

Outra indicação apresentada pelo deputado sugere ao governo do Estado por meio da Secretaria de Educação que seja priorizada a oferta de derivados da mandioca na alimentação escolar. “Queremos priorizar o consumo, ou seja, a aquisição de produtos derivados da mandioca. Alguns estados já aderiram e estão priorizando a oferta na merenda escolar e com isso dá uma resposta ao produtor local que vive dessa venda no seu próprio local, no interior”. A mandioca além de ser benéfica para a saúde, fonte de carboidrato sem glúten, também permitirá o equilíbrio financeiro dos produtores com o aumento do consumo.

“Essa é uma causa de todos nós, dos deputados dessa Casa, porque o todo o interior de Mato Grosso do Sul está passando por uma grande dificuldade. A produção de mandioca e a de leite são dois setores que fazem com que o produtor tenha a sua renda para continuar na atividade de pequeno porte na área rural”, finalizou Renato Câmara.

Confira também

Depois de Ciro Nogueira, Bolsonaro é cobrado por mais cargos em ministérios

BRASÍLIA — A entrada do principal partido do Centrão no núcleo duro do governo dividiu …