Prefeitura anuncia diminuição de gastos devido à queda brutal na arrecadação de Bonito

O prefeito de Bonito, Leleco Brito (PT do B) anunciou durante uma reunião com os secretários do município na tarde de hoje, um pacote de medidas para reduzir os gastos da administração. O comunicado é resultado da queda brutal no valor de R$ 2 milhões da arrecadação do município, devido à crise financeira que acomete todo o país, incluindo os municípios e o Estado de Mato Grosso do Sul.

Entre as medidas anunciadas pela gestão estão o corte do pagamento de horas extras, diárias e incentivos para funcionários da prefeitura. “Infelizmente nós tivemos uma diminuição da receita e um aumento natural das despesas. Assim como está acontecendo na casa de milhares de brasileiros, as despesas aumentaram também para a prefeitura. São decisões que eu não queria tomar, mas que eu preciso neste momento e na atual conjuntura da crise no país e em outros municípios como nós acompanhamos todos os dias nos noticiários”, afirmou o prefeito, durante o encontro.

As novas medidas entrarão em vigor a partir do dia 15 de abril e cabe aos secretários comunicar as suas respectivas equipes sobre os ajustes. O prefeito também solicitou que as secretarias fiquem atentas aos gastos em água, luz e telefone, com o propósito de diminuir o consumo em todos as sedes. Com o corte nas despesas, a prefeitura estima economizar cerca de R$ 2 milhões, que diminuirão o déficit na economia do município até o final do ano.

Suplementação orçamentária

Outro ponto importante abordado durante a reunião foi a demora da Câmara Municipal em votar projeto de lei que trata da suplementação orçamentária para a Prefeitura Municipal de Bonito no exercício de 2015. Em dezembro, a câmara alterou dois artigos do projeto de lei do orçamento apresentado pela prefeitura, estabelecendo um percentual irrisório para a suplementação, o que foi vetado pelo prefeito Leleco, que apresentou um novo projeto de suplementação, o qual ainda não votado pela câmara municipal.

Essa demora na votação do projeto impede a realização de compras, obras e outras despesas da Prefeitura Municipal. “Estamos com as mãos atadas para a realização de algumas atividades, mas já explicamos o problema aos órgãos competentes que avaliaram que qualquer erro que possa ter sido apresentado pela gestão não foi realizado com má fé. Refizemos todo o projeto e agora estamos aguardando a nova votação da câmara municipal para que as atividades possam ser realizadas normalmente”, ressaltou Leleco.

Novos projetos

Apesar das mudanças, o prefeito também anunciou durante a reunião a criação do Programa Bonito Solidário de Auxílio-desemprego, que substitui o antigo Frente Emergencial. Com gestão da Secretaria de Assistência Social, o projeto foi publicado hoje no Diário Oficial do município e prevê a criação de vagas de trabalho com a finalidade de possibilitar meios de subsistência e qualificação profissional para pessoas com idade acima de 21 anos.

Os trabalhadores incluídos no Programa Bonito Solidário terão a opção de escolher dois regimes de trabalho, de 8 horas diárias (40h semanais), onde receberão um salário mínimo ou de 6 horas diárias, (30h semanais), com remuneração de R$ 500.

Confira também

Presidente Bolsonaro estará em Ponta Porã na próxima semana

Conforme informações extraoficiais o presidente Jair Bolsonaro (Sem partido), estará presente na cidade de Ponta Porã na quarta-feira (30), …