Mara Caseiro classifica como “infelizes” declarações de vereadores sobre candidatura

A deputada estadual Mara Caseiro (PTdoB) classificou como infelizes as declarações de três vereadores de Campo Grande, que a chamaram de forasteira por ter seu nome colocado como possível candidata de seu partido à prefeitura da Capital.

Ela ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira (31) para mostrar sua indignação com os ataques que tem recebido dos vereadores Edil Albuquerque (PMDB), Chiquinho Teles (PSD) e Loester Nunes (PMDB), pelo simples fato de ter sua base eleitoral no Conesul do estado e estar cotada para encabeçar chapa majoritária no pleito eleitoral de 2016.

Para ela, esse tipo de preocupação com a movimentação política dos outros “é falta do que fazer”.

“Eles poderiam estar debatendo projetos de interesse para a população, mas, em vez disso, estão fazendo esse tipo de ataque. Isso é falta de discurso, de ter o que falar. Eu nem gostaria de entrar nesse tipo de discussão, até porque ninguém joga pedra em laranja podre, mas decidi dar essa satisfação aos meus eleitores”, disparou, esclarecendo que, ao contrário do que vem sendo difundido na imprensa, ainda não transferiu seu domicílio eleitoral para Campo Grande.

Na opinião da deputada, dizer que pessoas nascidas em outros municípios não podem administrar Campo Grande é uma reação no mínimo xenófoba, de raiz separatista e preconceituosa.

“Acho que fazer uma colocação dessa é no mínimo demonstrar preconceito com as milhares de pessoas que vieram de outros estados e até de outros países e ajudaram a construir essa cidade maravilhosa, como os libaneses, japoneses, italianos, turcos, paulistas, nordestinos, gaúchos, enfim. Eu tenho domicílio eleitoral em Eldorado, mas sou uma deputada estadual, e represento todos os sul-mato-grossenses na Assembleia Legislativa, incluindo os campo-grandenses”, declarou.

Como exemplo, citou o caso do ex-governador André Puccinelli (PMDB) que, apesar de ser italiano, e de ter iniciado sua vida política em Fátima do Sul, governou Campo Grande por dois mandatos consecutivos e foi um dos melhores administradores que a cidade já teve.

Mara Caseiro finalizou afirmando que não vão ser vereadores que, assim como ela, também não nasceram em Campo Grande, que vão decidir se ela pode ou não ser candidata a prefeita da capital.

“Para governar Campo Grande, é preciso ter competência, vontade de trabalhar e voto do cidadão. E se eu tiver que encarar mais esse desafio, se meu partido assim entender, estou preparada, mas tudo na hora certa, e sem esquecer da população do meu querido Conesul, que me elegeu e me apoia em todas as minhas ações”, disse.

Confira também

Riedel destaca importância da união para MS

O secretário de Infraestrutura do Governo do Estado, Eduardo Riedel, participa do grupo de trabalho, …