Homem é preso por abuso sexual após denúncia de beijo forçado

 

Um homem de 50 anos foi preso na tarde desta sexta-feira (10), suspeito de abuso sexual de vulnerável em Campo Grande. Segundo a Polícia Civil, a vítima é uma adolescente de 13 anos e o suspeito é casado com a avó da vítima. A garota disse à polícia que sofre os abusos desde 2013, quando passou a conviver com a avó, e que era ameaçada pelo suspeito.

A mãe da vítima disse que deixava os filhos na casa da sogra desde 2013. Primeiro para acompanhar o marido no hospital que fazia tratamento contra leucemia. Há um ano o pai dos adolescentes faleceu, mas a vítima e o irmão continuaram frequentando a casa da avó enquanto a mãe estava no trabalho.

Mas, na hora do almoço, quando a adolescente se arrumava para ir para escola, a mãe achou estranho o homem ir sentido aos quartos. Ela foi atrás e viu o suspeito beijando forçadamente a filha. “Eu vi, mas fingi que não vi. Ele estava com a boca borrada de batom. Chamei ela para ir para escola e perguntei o que estava acontecendo”, disse a mãe.

  • A adolescente disse que nunca contou o que acontecia para ninguém por medo. “Ele disse que ia matar todo mundo se eu contasse para alguém”, contou a vítima. Em depoimento, ela contou que a prima que morava com a avó também sofria abusos.

O delegado do 5º Distrito Policial (DP), Camilo Kettenhuber Cavalheiro, afirmou que a prima também será chamada. O caso será encaminhado para a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

Cavalheiro afirmou que o suspeito confessou ter beijado a vítima à força, mas negou outros abusos. “Da forma como ocorreu é consumado. Dando presentes, coagindo, ameaçando”, pontuou. O delegado pediu exame de corpo de delito que deve ficar pronto em dez dias, junto com a conclusão das investigações.

Segundo o delegado, o suspeito deve ser indiciado por estupro de vulnerável. A pena prevista é de oito a 15 anos. O delegado já converteu a prisão para temporária para garantir que ele fique detido até o fim das investigações. A mãe da vítima tem esperança de pena longa. “Espero que ele fique preso por muito tempo”, desabafou.

Juliene KatayamaDo G1 MS

Confira também

Frio intenso coloca assistência social em alerta na fronteira de MS

A assistência social de Ponta Porã, cidade de Mato Grosso do Sul que faz fronteira …