Garotos que caíram do telhado durante fuga continuam internados

Nadyenka CastroDo G1 MS

Continuam internados os dois adolescentes que caíram do telhado durante fuga da Polícia Militar (PM) e do Conselho Tutelar, neste fim de semana, em Três Lagoas, a 313 quilômetros de Campo Grande.

Os garotos, de 15 e 16 anos, participavam de uma festa em um imóvel do município quando as autoridades chegaram para verificar denúncia de fornecimento de bebidas alcoólicas a menores de idade.

O organizador do evento, um rapaz de 20 anos, foi preso e autuado em flagrante. “Tudo indica que ele cometeu o crime de fornecimento de bebidas alcoólicas a menores de idade”, fala o delegado Ailton Pereira de Freitas. O suspeito pagou fiança de R$ 4 mil e já está em liberdade. Ele confessou a situação.

Fuga
A coordenadora do Conselho Tutelar no município, Miriam Monteiro Herrera Hamd, disse ao G1que conselheiros e policiais ficaram cerca de 20 minutos na frente do imóvel esperando a porta ser aberta e quando entraram, os participantes tentaram fugir.

Ainda conforme a conselheira, algumas dessas pessoas saíram pelo fundo do local onde a festa era realizada, subiram em um muro e alcançaram o telhado de zinco de um galpão vizinho. A telha quebrou e os dois meninos caíram e foram levados pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital Auxiliadora.

Segundo informações da assessoria de imprensa da unidade de saúde, até a publicação desta reportagem, o garoto mais velho estava em observação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), diagnosticado com fratura de crânio.

O mais novo teve ferimentos no rosto, fez exames, colocou tala no antebraço e está internado na unidade masculina.

Prisão
De acordo com a autoridade policial, o rapaz preso disse que locou o imóvel para realizar o evento por R$ 500 e confirmou que havia adolescentes. Na versão dele ao delegado, tinha no local 150 pessoas. O Conselho Tutelar fala entre 150 e 200 participantes.

Conforme o delegado, essa é a primeira vez que o rapaz é preso. Airton Freitas disse ainda que o local não tinha alvará de funcionamento e não havia seguranças.

A polícia encontrou duas porções de cocaína e uma de maconha no chão e quando os militares entraram com o Conselho Tutelar, havia meninas na piscina.

O Conselho Tutelar conseguiu identificar 50 adolescentes. “Eles tinham entre 12 e 16 anos. Muitos de 14 anos e poucos de 17”, fala a conselheira.

Miriam explica que o procedimento do Conselho Tutelar em casos como esse é levar os garotos até a sede da entidade, chamar os pais e notificá-los. No entanto, no caso da festa, como havia muitos adolescentes e não tinha veículo adequado para o transporte, os conselheiros pegaram os dados, que serão encaminhados ao Ministério Público para as devidas providências. O caso será investigado pela 2ª Delegacia de Polícia Civil.

Confira também

Citado em escândalo do TCE-MS ficou preso por narcotráfico, mas foi absolvido

Citado em despacho do STJ (Superior Tribunal de Justiça) que sustentou a deflagração da Operação …