Estado Islâmico divulga novo vídeo de duas execuções no Egito

 

O braço egípcio do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) divulgou um novo vídeo no qual mostra uma decapitação e a execução de um soldado egípcio, capturado durante um ataque na península do Sinai.

O vídeo, divulgado na sexta-feira em algumas redes sociais, não apresenta informações sobre o indivíduo decapitado. Os jihadistas reservam este tipo de execução para os que consideram “espiões”, que são acusados de colaborar com os exércitos do Egito e de Israel.

O grupo egípcio, recentemente rebatizado de “Província do Sinai”, reivindicou a maioria dos atentados cometidos ao norte do Sinai desde que o exército derrubou o presidente islamita Mohamed Mursi em julho de 2013.

No vídeo, o soldado egípcio identificado como Ahmed Fathy Abou Al Fotouh Salam mostra a identidade e afirma ter sido capturado durante um ataque contra um posto de controle rodoviário em 2 de abril no norte do Sinai.

Na data, dois civis e 15 soldados morreram em ataques contra cinco postos de controle.

O soldado é fuzilado por um homem encapuzado, que acabara de decapitar outro indivíduo ao seu lado. O corpo da vítima fuzilada foi encontrado no dia seguinte aos ataques de 2 de abril.

O grupo Ansar Beit al-Maqdes mudou o nome para Província do Sinai ao jurar lealdade ao EI, com a intenção de mostrar que a península é parte do califado autoproclamado pelo grupo radical em uma parte da Síria e do Iraque.

Homem não identificado aparece sendo decapitado antes do fuzilamento de soldado egípcio (Foto: Reprodução/YouTube)
Homem não identificado aparece sendo decapitado antes do fuzilamento de soldado egípcio (Foto: Reprodução/YouTube)
Fonte G1

Confira também

Ser ‘podre de rico’ na China não é mais bem visto

Quanto é necessário para cobrir as refeições de um dia? 650 yuans (R$ 520) são …