Equipe Brasileira de Canoagem Velocidade e Canoagem Maratona busca liderança no Sul-Americano

47 atletas brasileiros já estão no Equador em preparação para o Campeonato Sul-Americano de Canoagem Velocidade e Canoagem Maratona, que ocorre entre quarta-feira (15.04) e domingo (19/04) na Laguna de Yahuarcocha, no município de Ibarra, no Equador. Ao todo, a competição reunirá mais de 350 atletas de oito países da América do Sul, em busca de medalhas e da posição de melhor país no esporte.

Segundo Alvaro Acco Koslowski, chefe de equipe da delegação da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), os Campeonatos Sul-Americanos não são mais marcados apenas pela disputa acirrada entre Brasil e Argentina. “Felizmente esta perspectiva vem se dissipando nos últimos anos com o crescimento de novos polos da Canoagem Sul-Americana, e o Equador é sem dúvida um destes polos”, destaca.

Os atletas brasileiros disputarão dois Campeonatos que ocorrerão simultaneamente: Canoagem Velocidade e Canoagem Maratona. Na equipe estão esportistas que disputam pela primeira vez uma competição internacional, como Caroline de Almeida da Silva e atletas mais experientes, como Isaquias Queiroz, Bi-campeão Mundial de Canoagem Velocidade.

Nesta perspectiva, os objetivos se dividem: “para os novatos, esta se torna uma oportunidade ímpar de demonstrar seu potencial e talvez a única competição internacional do ano. Já para os atletas da Equipe Principal, este evento ocorre como parte da preparação para competições mais importantes, como o Campeonato Mundial de Canoagem Velocidade 2015, que ocorrerá na cidade de Milão na Itália, no mês de agosto”, explica Koslowski.

No time dos experientes está Ana Paula Vergutz, que já ganhou sete medalhas de ouro em Sul-americanos. Para a atleta, o campeonato é importante para mostrar o trabalho que vem sendo desenvolvido no ano pré-olímpico. “Continuo com a mesma filosofia de treino, mas com um trabalho ainda mais completo do final do ano para cá”, salienta. E completa: “quero conquistar medalhas em todas as provas”. Tarefa pesada, já que Ana Paula irá competir em seis provas (K1 1000m, K1 500m e K1 200m, K2 500m, K4 500m e maratona) — “tem que estar resistente”, enfatiza a veterana.

Segundo o técnico da equipe de caiaque masculino, Rui Fernandes, embora a etapa não seja classificatória, é muito importante para a Canoagem Brasileira. “É uma grande oportunidade para dignificar o nome da Canoagem Brasileira e consolidar o país como líder na América do Sul”, destaca. E para buscar medalhas o técnico trabalha com uma rotina forte de treinos: “a equipe acorda todos os dias às seis e meia, toma café e depois vai para um treino de três horas. Almoça, descansa e volta para a água para treinar até 19 horas”, explica.

Para Álvaro Koslowski, chefe da equipe brasileira, a competição é importante no ano. “Não dá para negar a tradição: Sul-americano é Sul-americano, e o Brasil vai buscar o lugar mais alto no pódio em Ibarra”, finaliza.

Confira também

Mercedes lança parceria para aumentar diversidade racial na F1

Em continuidade aos esforços em prol da diversidade na Fórmula 1, a Mercedes anunciou uma …