Eduardo Romero reforça necessidade de ciclovia para Avenida Guaicurus

A implantação da ciclovia na Avenida Guaicurus está travada porque a prefeitura alega possíveis riscos aos ciclistas devido à rede de alta tensão de energia elétrica que está instalada ao longo do canteiro. O vereador Eduardo Romero (PT do B) sugere que se não há viabilidade no projeto original, que a ciclovia seja feita em rua paralela que atenda a demanda da região ou uma ciclofaixa nas laterais da avenida, se houver acordo com comerciantes.

“Nosso movimento continua a favor da ciclovia, acreditamos que o poder público não pode desistir desta obra porque há alternativas, que seja utilizar às ruas paralelas a avenida ou até debater sobre as torres de energia no local junto às empresas de Energia, que também são motivo de reclamação dos moradores nos cruzamentos da via”, justifica Eduardo Romero, que utiliza a bicicleta uma vez por semana para ir ao trabalho.

Há um ano o parlamentar encaminhou um ofício para a concessionária de energia elétrica solicitando informações sobre a presença da rede de energia de alta tensão no canteiro da avenida. O documento foi protocolado no dia 25 de fevereiro de 2014, onde foi questionada a previsão de troca ou estudos sobre a possibilidade de troca ou mudanças nas torres instaladas na Avenida Guaicurus.

Eduardo Romero exemplifica a cidade de Curitiba que garante retirada e a relocação dessas barreiras, que incluem, postes de iluminação, torres e de sustentação de semáforos para a implantação de ciclovias.

Foi questionado também com a concessionária de energia se a mesma tinha informações sobre a previsão de implantação de ciclovia e pista de caminhada no canteiro da Avenida Guaicurus. Até agora a concessionária de energia elétrica não se manifestou sobre o ofício encaminhado pelo gabinete.

‘Independente da empresa de energia ter ou não se manifestado, cabe à prefeitura encontrar alternativa para os ciclistas amadores e profissionais desta região que tem grande fluxo de trabalhadores e moradores’, defende Eduardo Romero.

O vereador também salienta que é preciso que a prefeitura dialogue com os comerciantes e moradores da região para que o sistema de estacionamento não fique prejudicado.

O mandato Eduardo Romero defende a bandeira de ciclovia na Avenida ou região da Guaicurus há muito tempo, inclusive realizou um passeio ciclístico pelo canteiro da avenida solicitando a obra, em 1º de março e 2014, antes mesmo do lançamento da licitação por meio da prefeitura.

Além da obra na Guaicurus, o vereador pede integração de ciclovias em vários pontos da cidade, ampliação da malha cicloviária, reformas nas ciclovias e ciclofaixas. Em algumas ciclovias os ciclistas precisam de muita atenção por conta dos buracos e galhos de árvores que invadem as pistas e se tornam risco de acidente.

‘Quanto mais bicicletas circulando é porque as pessoas estão se sentindo seguras para pedalar no trânsito de sua cidade. Não adianta fazer campanhas por vida saudável com uso de bicicleta, se a cidade não oferece condições para os ciclistas trafegarem. A orientação de como se comportar no trânsito, tanto ao ciclistas quando aos condutores de veículos motores também é outro item importante neste contexto’, explica Eduardo Romero.

Ações

No mês de maio o gabinete do vereador Eduardo Romero programa uma série de atividades que congregam o uso de bicicleta que vão desde programação educativa aos pedais pelo centro e bairros de Campo Grande. Esta não é a primeira vez que o mandato faz um mês dedicado à mobilidade urbana com foco na bicicleta. Em maio de 2013 foram realizadas várias ações como o ‘dia de bike ao trabalho’, audiência pública, distribuição de panfleto educativo, palestras, intervenções teatrais. Em 2014 e 2015 o mandato também fez e apoiou várias iniciativas com foco neste tema como foi o ‘dia mundial sem carro’.

Confira também

Vereadores e empresários terão que devolver R$ 54 mil após farra de combustíveis

Descontrole de gastos com combustíveis na Câmara de Vereadores de Caarapó foi confirmado pelo MPMS (Ministério Público …