Delegado ouve mulher que pode desvendar caso de ossada em MS

Graziela Rezende Do G1  MS

Ossada humana é encontrada enterrada dentro de fossa em Campo Grande (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A Polícia Civil marcou para esta terça-feira (7), em Campo Grande, a oitiva com uma mulher de cerca de 35 anos, que pode contribuir muito com as investigações sobre a ossada encontrada no dia 28 de março. Ao G1, o delegado Messias Pires, adjunto da 6ª Delegacia de Polícia, disse que, além dela, 8 pessoas já prestaram depoimento e mais 4 serão intimadas.

“Esta mulher seria uma segunda amante do homem com quem a suposta vítima tinha um caso. Eles tiveram um relacionamento no ano de 2004 e inclusive possuem uma filha em comum, atualmente com 10 anos. No entanto, precisamos de algumas confirmações antes”, disse o delegado.

De acordo com Messias, a Polícia Civil aguarda resposta empresa fabricante onde a suposta vítima teria adquirido o silicone.

“Nós passamos a numeração e a intenção é saber se o silicone realmente pertencia a esta vítima. Eles estão buscando os dados, pois embora já tenham passado 12 anos, um dos silicones estava intacto”, explicou o delegado.

Além disso, a polícia aguarda resposta do laboratório onde está sendo feito o exame de DNA e novos depoimentos. “A viúva do homem que seria amante da suposta vítima prestou depoimento. Ela disse que, quando descobriu o caso, permaneceu mais um tempo com o homem e separou logo depois”, ressaltou o delegado.

O dono do depósito, a mãe da suposta vítima, de 59 anos, e outros familiares também disseram informações relevantes para o inquérito, conforme Messias. “Entre hoje e amanhã teremos novidades e a possível identificação da mulher”, finalizou.

Entenda o caso
A ossada humana foi encontrada enterrada na fossa de uma empresa, no bairro Taveirópolis. A Polícia Civil disse os indícios eram de que o esqueleto estava soterrado há pelo menos 12 anos. No material encontrado havia próteses de silicone e uma calcinha com ossos, indicando a possibilidade de ser uma mulher.

A ossada foi encontrada pelo funcionário da empresa enquanto retirava areia da fossa. Os ossos estavam divididos em três sacos de ração de cachorro que tinham, na data de fabricação, o ano de 2003. Para o delegado, isso indica a antiguidade do soterramento.

Confira também

Câmara Municipal de Campo Grande nomeia mais 43 servidores

A Câmara Municipal de Campo Grande nomeou 43 servidores, segundo divulgado no Diário Oficial do …