Cresce roubo de celulares em MS e procura por seguro também aumenta Delegado destaca importância de cuidados e da tecnologia. Muita gente ainda não conhece serviços.

Do G1 MS, com informações da TV Morena

A quantidade de furtos e roubos de celulares tem aumentado em Mato Grosso do Sul. Com isso, tem crescido também a procura por seguro para telefone móvel.

Segundo a polícia, na última semana de março foram registrados 68 casos de roubos e furtos de celular em Campo Grande. No interior do estado foram 42.

Para a polícia, o celular é um dos objetos mais visados pelos criminosos e muitas pessoas não têm os devidos cuidados com os aparelhos.

De acordo com o delegado Rodrigo Vasconcelos Braga, as pessoas não costumam ter cuidado com os aparelhos em locais de grande circulação e deixá-los em cima de mesas ou balcões oportuniza o furto.

Tecnologia
O delegado destaca a importância de manter um programa de rastreamento no telefone. Ele orienta que quando o aparelho é roubado o usuário deve rastreá-lo pela internet e procurar a delegacia mais próxima para que o autor seja identificado.

Caso não consiga rastrear, a vítima deve apagar os dados pelo programa de rastreamento, função que pode ser feita à distância. Em seguida é preciso descobrir o IMEI, uma espécie de identidade do telefone que pode ser encontrada na caixa do aparelho, atrás da bateria ou digitando *#06*.

Com o IMEI o cliente deve ligar para a operadora e pedir um comando, que torna o aparelho inutilizável. Além de manter um sistema de rastreamento no telefone, outra orientação é utilizar senhas de bloqueio como prevenção.

Seguro
Para evitar perder o aparelho, ficar sem arquivos pessoais ou ter dados bancários acessados, muitas vítimas têm buscado seguro de celular. No ano passado, o faturamento da principal seguradora do país com esse tipo de serviço cresceu 280%. Embora tenha aumentado a procura, muitos ainda desconhecem o serviço.

Conforme o Sindicato das Seguradoras (Sindseg) de Mato Grosso do Sul, esse tipo de seguro é oferecido há dois anos para equipamentos eletrônicos como notebook, tablet e celulares.

De acordo com o representante do Sindseg, Adilson José Dorascenzi, hoje 50 % da procura para esse tipo de seguro é para celular e smartphone. Além do roubo, o seguro cobre incêndio, dano elétrico e até queda. O seguro, geralmente, é feito para aparelhos com até um ano de uso.

O serviço garante um celular novo desde que o produto seja nacional e a pessoa tenha a nota fiscal. Segundo o Sindseg, o valor varia conforme o modelo e custa 25% do valor total do produto.

Confira também

Rascunho automático