Crédito para financiamento imobiliário cresce 35% no primeiro trimestre

O montante liberado para financiamento imobiliário em Mato Grosso do Sul cresceu 35% no primeiro trimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2014. O valor total passou de R$ 334,1 milhões para R$ 451,3 milhões, segundo a Caixa Econômica Federal. Somente em janeiro, o volume de empréstimos aumentou 150%, na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Na avaliação do superintendente regional da Caixa, Paulo Antunes, os números são surpreendentes, mas têm explicação. Segundo ele, a economia do Estado tem sido impulsionada pelo agronegócio, que passa por um bom momento e influencia na alta do volume de crédito liberado.

“O que elevou esse número é fato de termos a economia do Mato Grosso do Sul em um nível de aquecimento diferente daquilo que a gente percebe em nível de Brasil. MS é um Estado com agronegócio muito forte e com potencial sendo bastante explorado”, explica Paulo.

O superintendente destaca ainda que o forte crescimento do mercado imobiliário se dá porque todos os segmentos envolvidos estão em certo nível de maturidade. Tantos as imobiliárias, como quem quer comprar e quem quer vender agora têm mais conhecimento das possibilidades. “Isso permite as pessoas terem confiança e segurança na aquisição da casa própria. As informações de financiamento estão presentes no próprio celular, nos sites da Caixa e das imobiliárias, nos feirões que a gente executa com sucesso há onze anos”, comenta.

Primeiros passos – Para quem quer financiar a casa própria, informação não falta. O que as pessoas precisam é procurar as imobiliárias credenciadas. O superintendente explica que os credenciados dão todo o suporte necessário para que alguém se prepare para contrair ou não o financiamento.

“Se aquele imóvel não atender as necessidades, a pessoa pode ir em outra imobiliária. Se o produto atende, em vez de ela procurar a Caixa, a própria imobiliária tem permissão do banco para atender o cliente nas condições do financiamento”, detalha Paulo, ao lembrar que hoje o nível de exigência do cliente está muito mais elevado e não falta opção de imobiliárias credenciadas, nem localização deimóveis.

Para o superintendente regional da Caixa, Paulo Antunes, agronegócio impulsiona economia e eleva número de financiamentos (Foto: Alcides Neto)Para o superintendente regional da Caixa, Paulo Antunes, agronegócio impulsiona economia e eleva número de financiamentos (Foto: Alcides Neto)

Segundo Paulo, existem construções de unidades isoladas ou em condomínio em todos os bairros de Campo Grande. “O correspondente da Caixa faz uma análise para verificar qual a capacidade de pagamento daquela pessoa e vai ser gerado um valor limite, que a pessoa pode emprestar para financiar a casa. Dentro desse valor, ela vai procurar o imóvel. Só depois dessa análise que ela vai saber quanto que ela tem que ter no bolso para dar de entrada”, esclarece. Paulo destaca que cada pessoa pode comprometer, em média, 30% da renda, mas isso varia.

Além disso, o negócio acontece fora da Caixa, o banco é apenas o financiador. Quem quer financiar pode usar o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), dar um carro ou um terreno como parte do negócio.

Feirão – Para os próximos meses, o superintendente orienta aqueles que pensam na casa própria a comprar apenas se realmente precisarem e se o imóvel estiver adequado a capacidade de renda e necessidade pessoal. O próximo Feirão Caixa da Casa Própria acontecerá em maio, mas ainda não tem data certa, segundo o superintendente. A 11ª edição do evento será uma boa oportunidade para quem está pensando no financiamento.

Confira também

Conselho Deliberativo do Sebrae anuncia programa de desenvolvimento em Porto Murtinho

Iniciativa deflagrada nesta sexta-feira vai criar oportunidades para população e empresas do município    O …