Árvores transgênicas no Brasil: protestos nas embaixadas e consulados

Nova York (2 de abril 2015) – Nesta semana, cidadãos preocupados realizaram manifestações em frente aos consulados e embaixadas do Brasil em diferentes países do mundo, como atividade da segunda semana de protestos globais pedindo que o governo Brasileiro rejeite o pedido da indústria para o plantio comercial de árvores de eucalipto transgênicas.

Em Bruxelas na Bélgica, dezenas de pessoas representando organizações de diferentes países foram do Parlamento Europeu até a Embaixada do Brasil, onde protestaram contra as árvores transgênicas e entregaram cartas de protesto. Na cidade de Melbourne, na Austrália, manifestantes se vestiram como coalas e outros animais da floresta para protestar contra árvores de eucalipto transgênico. Outras manifestações ocorreram na América do Norte.

As ações desta semana deram continuidade à onda de protestos contra árvores transgênicas no dia 3 de março de 2015, em frente a embaixadas e consulados Brasileiras. Esses protestos eram dirigidos a uma reunião que aconteceu dia 5 de março de 2015 da Comissão Técnica Nacional de Biosegurança (CTNBio), para tomar uma decisão sobre se aprovaria ou não um pedido da FuturaGene para o plantio comercial de árvores transgênicas no Brasil. A reunião foi interrompido por 300 camponeses organizadas na Via Campesina, e acabou sendo cancelada.

Mais cedo na manhã do dia 5 de março, 1,000 mulheres do MST e militantes de outros movimentos sociais do campo e da cidade dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais ocuparam a empresa FuturaGene.

Uma mulher do MST que participou na ação disse, “As mulheres chegaram aqui para denunciar, para rejeitar, para dizer que este modelo de agronegócio é o modelo da morte, não da vida. Nos mulheres sem terra estão aqui para defender o modelo da vida, defender a soberania alimentar, e defender a reforma agrária.”

CTNBio e FuturaGene remarcaram a reunião sobre o tema das árvores de eucalipto transgênico para 9 de abril de 2015, o que incentivou esta ultima onda de protestos desta semana.

“Estas semanas de protesto contra arvores transgênicas no Brasil mostra o compromisso renovado de organizações, ativistas e movimentos sociais no mundo para assegurar que as árvores transgênicas nunca serão legalizadas”, disse Ruddy Turnstone, da entidade Global Justice Ecology Project, e a Campanha para PARAR as árvores transgênicas que realizou um protesto em frente ao consulado do Brasil em Miami, Florida, no dia 31 de março.

Em novembro de 2014, cientistas, engenheiros florestais, agrônomos, povos indígenas e outros especialistas de seis continentes se encontraram em Assunção, Paraguai, para discutir os problemas das árvores transgênicas. Eles finalizaram recentemente a Declaração de Assunção, que faz um apelo por uma rejeição total das árvores transgênicas, inclusive as usadas em testes de campo.

Atualmente, nos EUA, um pedido parecido dirigido ao Departamento da Agricultura e feita pela empresa que promove árvores transgênicas ArborGen está aguardando uma decisão.

Confira também

Bruno Covas, prefeito de SP, morre aos 41 anos

O prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), morreu às 8h20 deste domingo (16) aos …