Ministério lança a campanha Grito de Paz em Gre-Nal com torcida mista

O Ministério do Esporte lançou, neste domingo (01.03), a campanha Grito de Paz, que busca conscientizar os torcedores de que os estádios são um ambiente de celebração, onde não cabem violência e intolerância. Ao entrar em campo no Beira-Rio para a edição número 404 do grande clássico gaúcho, jogadores do Internacional e do Grêmio vestiram camisas brancas formando a mensagem #GritoDePaz, reforçando um clima de festa que fez deste Gre-Nal, válido pela oitava rodada do Campeonato Gaúcho, um jogo histórico. E não foi pelo placar.

Torcida mista

Priscila costurou uma camiseta especial para o filho Lorenzo, de 10 meses. Colorada e apaixonada por futebol, decidiu levar o bebê a um dos clássicos de maior rivalidade do país, junto com o marido Gabriel. Ela, com a camisa do Grêmio. Ele, com a do Internacional. No peito de Lorenzo, três letras: paz.

“Eu sempre comentava com o Gabriel que sentia falta deste momento, de vir junto com ele, de poder trazer o nosso filho. É um momento muito emocionante, um grande exemplo”, contou Priscila Spohr, arquiteta. Ela acrescentou que, no caminho até o Beira-Rio, vários colorados brincaram com ela: “Muitos me cumprimentaram por trazer o Lorenzo, sem qualquer ameaça”.

Foi a primeira vez em que o casal se sentou junto no estádio em clássico, sem ter medo de esconder a camisa. Ao lado deles, vários torcedores na mesma sintonia: mil colorados puderam convidar gremistas para assistirem ao jogo em uma torcida mista. Cada ingresso valia para uma dupla de torcedores rivais, todos identificados pelo Internacional – clube que liderou a iniciativa da torcida mista – no momento da compra do tíquete.

Assim como Priscila e Gabriel, a descontração estava no rosto das irmãs Manuela e Isabela, dos amigos Eduardo e José Luiz, do casal Ana e Ruiçaru… A partida reuniu centenas de histórias parecidas, de pessoas que queriam vivenciar o futebol no estádio ao lado de gente querida ,especialmente em dia de clássico, mas que sempre foram vencidas pelo receio de enfrentar um ambiente perigoso. Neste domingo, elas trocaram o medo por sorrisos, cumprimentos e diversos cartazes estimulando a paz nas arquibancadas.

O engenheiro colorado Alexandre Wexell, por exemplo, convive com a rivalidade em casa o tempo todo. A esposa, Ana Flávia Costa, é gremista, e as filhas gêmeas se dividiram: Isabela (Inter) e Manuela (Grêmio). O filho mais novo, Bernardo, de 4 anos, ainda na dúvida, entrou no clima da torcida mista: veio de vermelho, carregando a bandeira tricolor. “Isso mostra o que pode ser um novo momento, com a possibilidade de trazer as famílias. É uma satisfação enorme vir com todos”, contou Alexandre. “É muito mais divertido”, disseram as gêmeas, praticamente ao mesmo tempo.

Confira também

Vasco apresenta balanço financeiro e anuncia dívida superior a R$ 800 milhões

Em evento inédito no clube, o Vasco realizou uma coletiva – em forma on-line – …