Logomarca dos Jogos Mundiais Indígenas é apresentada a embaixadas de países participantes

A logomarca com a identidade visual da primeira edição dos Jogos Mundiais Indígenas, em Palmas, de 15 a 27 de setembro, foi apresentada na manhã desta sexta-feira (27.2), aos representantes das embaixadas de 18 países que já confirmaram presença nos jogos. A marca, em forma de um arco com três anéis, traz as cores verde representando o fortalecimento das matas, rios e nascentes; vermelho, o sangue; e marrom, a terra. Todos os anéis recebem grafismos da cultura do povo maia.

No encontro, representantes do Ministério do Esporte e do Comitê Intertribal (ITC) junto às embaixadas discutiram questões referentes à organização dos jogos. As ações que irão nortear o mundial, bem como a confirmação de 22 países e o interesse da participação de outros, como Rússia e Mongólia, também fizeram parte da reunião.

A diretora de projetos intersetoriais da Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis), Andrea Ewerton, ressaltou que “a realização dos Jogos Mundiais Indígenas em nosso país é um momento marcante para a história do Brasil, um momento que deixa em evidência a nossa identidade. Os Jogos de importância humanista têm a mesma relevância dos Jogos Olímpicos”, afirmou.

Segundo Hector Valente Franco, secretário municipal extraordinário dos Jogos Mundiais, a cidade de Palmas está totalmente envolvida com o evento. “Principalmente por concentrar grande população de índios, ou seja, dez etnias, sendo seis delas já confirmadas nos jogos. Estamos nos preparando para receber as 23 etnias brasileiras, e também as delegações dos 22 países. Tudo está sendo feito para que todos sejam acolhidos da melhor forma possível”, concluiu.

As ações dos Jogos Mundiais Indígenas continuam a pleno vapor. No dia 23 de março, Marcos Terena estará presente no Fórum Permanente da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, quando fará o convite ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, para participar dos Jogos. Em abril, será realizado em Brasília o Congresso Técnico para os Jogos Mundiais Indígenas, quando serão acertados com as lideranças indígenas dos países participantes todos os detalhes. Após o congresso, os órgãos envolvidos farão o lançamento da 1ª edição dos Jogos Mundiais Indígenas, na capital federal.

O encontro contou com as presenças de Vilmar Coutinho, chefe da Assessoria de Assuntos Internacionais do Ministério do Esporte, Luiz André Lobo, assessor extraordinário da Secretaria Executiva e dos irmãos Terena, idealizadores dos Jogos.

Confira também

Análise: São Paulo volta a jogar no limite e revive momentos da pior fase na temporada

Quando o São Paulo viveu seu pior momento na temporada, com pressão devido às eliminações precoces no …