Jardim participou da construção da Enciclopédia das Águas de Mato Grosso do Sul

O Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul (IHGMS), em parceria com a Sanesul e Imasul, construiu a “Enciclopédia das Águas de Mato Grosso do Sul”, um projeto audacioso que visando o levantamento inédito da hidrografia do Estado para garantir a sua preservação.

O projeto foi apresentado ao governador André Puccinelli pelo historiador Hildebrando Campestrini, presidente do instituto. “O Instituto esteve construindo há algum tempo esta enciclopédia, que é o mapeamento de todas as nascentes, rios, corichos, portos e córregos do Estado. Foram alistamos e descritos mais de 6127 cursos d’água”, afirmou Campestrini. Segundo o historiador, não há trabalho semelhante no Brasil e a busca por parcerias com entidades governamentais foi essencial para a conclusão do trabalho, que envolveu um vasto trabalho de campo.

O projeto apresenta 157 cartas topográficas, cada uma medindo 72 cm por 74 cm, além de um mapa virtual que mede 12 metros por 13 metros, ou seja, algo grandioso”, explica o presidente do Instituto, acrescentando que essas dimensões permitem “colocar no mapa, por exemplo, um córrego que tenha cinco quilômetros”. Ainda segundo o historiador, ao mesmo tempo em que contribui para o acervo histórico do Estado, o trabalho traz uma gama de informações essenciais para a gestão ambiental. “Permite o diagnóstico das condições das águas e contribui também para área turística e histórica. O mapa hidrográfico é fundamental para o embasamento de todo e qualquer projeto”, afirmou.

A Prefeitura Municipal de Jardim, através da Secretaria de Meio Ambiente e Planejamento (SEMAP) firmou parceria com o Instituto e disponibilizou o biólogo Carlos Piazer para ser o colaborador no município junto ao Instituto para construção da Enciclopédia.

“Jardim possui uma rede hidrográfica invejável, não somente pela distribuição e volume como também pelas belezas cênicas e importância histórica. Toda população pode contribuir na confecção dos mapas, já que o projeto vista registrar também a história dos rios e, desta forma todos os pioneiros do município podem ajudar a contar um pedacinho da história das águas de Jardim”, afirmou o prefeito Erney Cunha Bazzano Barbosa.

Segundo o Secretário Tiago de Oliveira Borges, como esta é a fase de pesquisa e pouco há registro sobre os corpos d’água do município, toda e qualquer informação é muito importante para o projeto. Salientou ainda que “nossa hidrografia deve ser conhecida por todos, porque como podemos ter domínio daquilo que não conhecemos?”. Além dos créditos da obra, cada colaborador recebeu uma edição da Enciclopédia como forma de retribuição e reconhecimento ao trabalho em defesa dos nossos recursos hídricos.

Confira também

Moradores estão há 17h presos em casa após árvore cair e bloquear passagem

Moradores do Bairro Aero Rancho estão há pelo menos 17h presos nas próprias casas após …