Entrave no acesso ao PRONAF será tema de debates na Assembleia

A deputada estadual Mara Caseiro (PTdoB) comanda na próxima quarta-feira (18), a partir das 14h, audiência pública para discutir os entraves no acesso ao crédito rural para os agricultores familiares em Mato Grosso do Sul.

A intenção é ouvir e esclarecer os produtores rurais, principalmente os pequenos, que tem encontrado dificuldades burocráticas para captar os recursos do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar).

“É preciso melhorar o sistema de controle de concessão de créditos do Pronaf, e diminuir a vulnerabilidade, a fim de se evitar a concessão de crédito a pessoas indevidas e garantir transparência no processo”, detalhou a parlamentar.

Outro ponto a ser debatido durante a audiência pública envolve denúncias de fraudes no programa, que estão sendo apuradas pela Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado. O caso mais grave teria ocorrido no Rio Grande do Sul, onde escutas telefônicas obtidas pela Polícia Federal mostram um suposto esquema que teria desviado R$ 79 milhões, prejudicando mais de 6 mil pequenos agricultores.

Eles alegam estarem endividados com o Banco do Brasil apesar de não terem contratado crédito agrícola. O esquema era encabeçado pela Associação Santa-Cruzense dos Agricultores Camponeses, que obtia os empréstimos, mas não repassava aos pequenos agricultores.

O senador Ruben Figueiró (PSDB-MS) lamentou a desorganização governamental quanto à operacionalização do programa. “A atual política do Pronaf poderá se constituir ao lado do Petrolão, em outro grande escândalo desse governo”, disparou.

O senador Waldemir Moka (PMDB-MS), por sua vez, disse que “um agricultor pode muito bem assinar documento sem a certeza e o conhecimento do que está assinando”, daí a necessidade de se esclarecer o caso.

O Pronaf foi criado em 1995, pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, com expectativas otimistas de que seria uma grande alavanca de crédito para o agricultor familiar.

O programa oferece linhas de crédito com juros variáveis de 0,5% a 4% ao ano e está presente em 98% dos municípios brasileiros.

Durante a audiência, além dos agricultores, foram convidados a falar sobre o assunto representantes dos órgãos ligados ao setor, como o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), MDA (Ministério da Agricultura) e Banco do Brasil.

“Temos recebido muitos pequenos produtores em nosso gabinete, reclamando sobre as dificuldades de acessar esse crédito. Acho que essa é uma oportunidade única de discutirmos essa questão tão relevante para o nosso estado”, finalizou Mara Caseiro.

Confira também

Câmara de Jardim aprova por unanimidade aumento de repasse para UTIs do Hospital Marechal Rondon

Em sessão extraordinária presidida pelo vereador Glaucio Cabreira (PSDB), realizada na manhã desta quinta-feira (17), …