Olarte estuda colocar carnavalesco no lugar de evangélica na Fundac

O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), estuda mudanças na chefia da Fundac (Fundação Municipal de Cultura). “Onde há fumaça, há fogo”, disse o carnavalesco Valdir Gomes, na manhã deste sábado (17), quando indagado sobre a possibilidade de assumir a pasta. Atualmente está no comando da Fundac a vereadora licenciada Juliana Zorzo (PSC).

De acordo com o carnavalesco, por enquanto, ele tem conversado oficialmente com o prefeito apenas sobre o Carnaval 2015 e as mudanças que podem ser feitas para a festa na Capital. “Tudo o que eu acho que pode melhorar eu falo com o prefeito, mas não fui convidado ainda”, destaca.

Valdir diz que deixou de desfilar em escolas de samba de estados como Rio de Janeiro e São Paulo para ajudar na organização do carnaval campo-grandense. “Não sei o que vai acontecer depois do carnaval. Abri mão de desfilar e de tudo para organizar o carnaval daqui”.

Carnaval

Valdir adiantou para o Jornal Midiamax que, no dia 30 de Janeiro, será o lançamento do Carnaval, na Praça do Rádio Clube. Ainda de acordo com Valdir, o tradicional concurso de fantasias não será realizado este ano por falta de tempo hábil para divulgar o edital e prepara o concurso. “Vamos fazer apenas uma mostra de fantasia com os carnavalescos que têm peças prontas”, destacou.

Deus e o Carnaval

Zorzo assumiu a chefia da Fundac depois que Olarte chegou à Prefeitura, em março do ano passado. Durante sua gestão, viu o município ser obrigado a cancelar a Quinta Gospel, evento de música ligada à religião que vetou a apresentação de pessoal de outras crenças que não as evangélicas.

Nos bastidores, consta que Valdir estaria disposto a fazer um ‘carnaval para não-crente ver’. O objetivo seria justamente mudar a imagem de que a atual administração privilegia segmentos evangélicos da sociedade em detrimento dos demais.

Confira também

TRF-3 derruba liminar e João Baird volta a responder por evasão de divisas

Por unanimidade, desembargadores da 5ª Turma do TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) derrubaram …